#481

16 de dezembro de 2017

De acordo com a tradição chinesa, a primeira xícara de chá foi feita pelo imperador Shen Nung, cujo reinado data tradicionalmente de 2737 a 2697 a.C. Ele foi o segundo dos lendários imperadores da China e recebeu o crédito pelas invenções da agricultura e do arado, bem como pela descoberta das ervas medicinais. De modo semelhante, diz-se que seu predecessor, o primeiro imperador, descobriu o fogo, a culinária e a música.

Reza a lenda que Shen Nung estava fervendo água para beber, usando alguns galhos de um arbusto de chá selvagem para alimentar o fogo, quando uma rajada de vento levou algumas das folhas da planta para dentro de seu pote. Ele achou a infusão resultante uma bebida delicada e reanimadora. Posteriormente escreveu um tratado médico, o Pen ts’ao, sobre os usos medicinais de várias ervas, no qual supostamente registrou que uma infusão de folhas de chá “dissipa a sede, reduz o desejo de dormir e alegra e anima o coração”.

Contudo, chá na verdade não é uma antiga bebida chinesa; a história de Sheng Nung é uma invenção elaborada bem mais tarde. A edição mais antiga do Pen ts’ao, que renova à dinastia Han (25 a 221 d.C.), não faz nenhuma menção ao chá. A referência a ele é adicionada no século VII d.C.

O chá é uma infusão de folhas secas, botões e flores de uma arbusto perene, Camellia Sinensis, que parece ter evoluído nas florestas da região oriental do Himalaia onde hoje se localiza a fronteira entre a Índia e a China. Na era pré-história, foram descobertos o efeito estimulante de se mastigar as folhas e o efeito curador de se esfregar o chá em feridas, práticas que sobreviveram por milhares de anos. O chá também era consumido num mingau medicinal no sudoeste da China, com as folhas cortadas sendo misturadas com cebolinha, gengibre e outros ingredientes. Povos tribais na região que atualmente corresponde ao norte da Tailândia cozinhavam no vapor ou ferviam as folhas e transformavam-nas em bolas para então comê-las com sal, óleo, alho, gordura e peixe seco. Portanto, o chá era um remédio e um ingrediente culinário, antes de ser uma bebida.

Exatamente como e quando o chá se espalhou pela China não está claro, mas parece ter sido ajudado ao longo do caminho por monges budistas, seguidores da religião fundada na Índia no século VI a.C. por Siddhartha Gautama, conhecido como Buda. Tanto monges budistas como os taoístas descobriram que beber chá era uma ajuda inestimável para a meditação, já que aumentava a concentração e bania a fadiga — efeitos atribuídos à presença da cafeína. Lao-tse, o fundador do taoísmo, que viveu no século VI a.C., acreditava que o chá era um ingrediente essencial no elixir da vida.

História do Mundo em 6 Copos, de Tom Standage