O Expresso Berlim-Bagdá

O Império Otomano e a tentativa da Alemanha de conquistar o poder mundial 1898-1918

Sean McMeekin, Estados Unidos

#931

26 de março de 2020

Hoje em dia, partindo de Istambul rumo ao leste por trem, os viajantes atentos podem se surpreender com as anomalias arquitetônicas que parecem deslocadas na Anatólia contemporânea. Se o majestoso estilo imperial germânico “fin de siècle” das estações ferroviárias em Haydarpasha e em Adana — o acesso para o Mediterrâneo Oriental — parece pelo menos […]

#930

24 de março de 2020

Em um pequeno promontório que avança pela linha costeira asiática de Istambul, onde o Bósforo encontra o mar de Mármara, vemos a surpreendente fachada em estilo neoclássico da estação de Haydarpasha. A construção se ajusta com tamanha perfeição à pequena geografia da península que, de longe, Haydarpasha quase parece flutuar na águas. Isso não é […]

#381

26 de abril de 2017

Quando examinamos os escombros políticos e humanitários do Oriente Médio moderno, fica difícil resistir à tentação de imaginar cenários nos quais a história teria se encaminhado para outros e melhores desdobramentos. Se pelo menos a Turquia tivesse ficado de fora da guerra, o califado poderia ter sobrevivido e um frágil equilíbrio sunita resistiria na Síria, […]

#377

16 de abril de 2017

Os países neutros esperaram ansiosamente a decisão da Turquia, ao longo do verão e do outono, quer motivados pelo desejo de abocanhar mais trechos do território otomano (Grécia), de usar a beligerância turca como trampolim para resolver contendas regionais (a Bulgária), ou por uma preocupação com o estilo jihad dos turcos de desfazer a configuração […]

#376

15 de abril de 2017

Poucas decisões na história mundial tiveram consequências tão conturbadas quanto a entrada da Turquia na Primeira Guerra Mundial. Do fechamento do estreito do Bósforo ao comércio russo, que durou anos e foi a causa determinante de uma reviravolta econômica que causou a Revolução Russa, à criação do moderno Oriente Médio com base nos escombros do […]

#365

19 de março de 2017

Ingleses, franceses e russos tinham razão de se preocupar com a expansão da influência alemã implícita na concessão de uma estrada de ferro em Bagdá em 1903, mesmo que em termos dessa concessão parecessem ter sido pessoalmente elaborados para beneficiar o sultão Abdul Hamid. Deve ter havido um bom motivo pelo qual os bancos alemães […]

#364

18 de março de 2017

Diante de tantos riscos cercando o empreendimento, não surpreende que o financiamento da ferrovia de Bagdá levasse alguns anos para ser organizado. Somente em 1903 tiveram propriamente início os trabalhos na linha e, mesmo então, apenas no primeiro trecho, plano, que ia de Konya até o sopé das montanhas Taurus. Na ocnvenção revista assinada em […]

#282

7 de setembro de 2016

A estrada de ferro de Bagdá, por assim dizer, nasceu do pecado. Não espanta que, à luz de toda a embromação política em torno da concessão, o progresso da construção não ocorresse em passo acelerado. Não ajudou muito o fato de a concessão ter sido assinada em meio a uma depressão mundial na virada para […]

#247

18 de junho de 2016

Os interesses alemães na estrada de ferro otomana já estavam a pleno vapor quando o kaiser iniciou sua aproximação com Abdul Hamid. Fora um engenheiro alemão, Wilhelm von Pressel, que tinha projetado e ajudado a construir o primeiro trecho do que se tornaria a ferrovia de Bagdá, a linha de quase 80km estendendo-se desde a […]

#49

15 de março de 2015

“Estender a estrada de ferro de Haydarpasha a Bagdá […] construir essa ferrovia apenas com materiais alemães e com o propósito de levar bens e gente à Ásia pelo caminho mais direto, desde o coração da Alemanha […] fará com que deixe mais próximo o dia em que o comentário de Bismarck sobre o Oriente […]

#47

12 de março de 2015

Quando analisamos as suspeitas que começaram a surgir na Sublime Porta em torno dos seus dois principais aliados [França e Grã-Bretanha] na Guerra da Crimeia, não espanta que Abdul Hamid II começasse a fazer pressão para que a Alemanha Imperial substituísse ambos como seu protetor contra a ameaça russa. Havia bases promissoras para uma aliança […]

#46

11 de março de 2015

Considerando o sério preço diplomático que a Alemanha pode ter sido obrigada a pagar pelo enlevo do kaiser pelo sultão em 1889, é no mínimo peculiar que nove anos tenham se passado antes de Guilherme II se dignar a visitar seu amigo Abdul Hamid II novamente. Ao que parecia, a fixação oriental do kaiser fora […]

#13

17 de janeiro de 2015

[Os muçulmanos] tratam os cristãos com doçura e amizade desde que seu fanatismo religioso não seja instigado. — Wilhelm von Pressel, o “pai da ferrovia de Bagdá,” c. 1876 No livro O Expresso Berlim-Bagdá, de Sean McMeekin