Pedro o Grande

Sua vida e seu mundo

Robert K. Massie, Estados Unidos

#870

12 de agosto de 2019

Historiadores soviéticos não encontraram facilidade para lidar com a figura de Pedro, o Grande. Buscando escrever a história dentro dos conceitos não apenas da teoria e terminologia marxistas gerais, mas também do ar de reforma que se seguiu, eles oscilam entre retratar Pedro como irrelevante (os indivíduos não tem papel não evolução histórica), e como […]

#836

5 de julho de 2019

Com a assinatura do Tratado de Nystad (1721), a Grande Guerra do Norte chegava ao fim. A Rússia finalmente estava em paz. Agora, parecia, as energias colossais que haviam sido despendidas em campanhas militares de Azov a Copenhague poderiam finalmente se voltar à própria Rússia. Pedro não queria ser lembrado na história como um conquistador […]

#826

23 de junho de 2019

Nas últimas décadas do século XVII, os aposentos reais eram ocupados pelo segundo czar da dinastia Romanov, o “Grande Senhor, Czar e Grão-Duque, Aleixo Mikhailovich, Autocrata de toda a Grande e Pequena e Branca Rússia”. Distante e inacessível a seus súditos, essa figura augusta vivia cerrada em uma aura de semidivindade. Um grupo de diplomatas […]

#825

22 de junho de 2019

Erguendo-se em uma colina cerca de 40 metros acima do rio Moscou, as torres, cúpulas e muralhas do Kremlin dominavam a cidade. Em russo, a palavra “kreml” significa “fortaleza”, e o Kremlin de Moscou era uma imponente cidadela. Dois rios e um fosso profundo se espalhavam sob suas enormes muralhas. Esses paredões, cuja espessura variava […]

#760

7 de abril de 2019

O campo de batalha era um local de carnificina. O exército de Carlos XII da Suécia, que havia começado a batalha com 19 mil homens, deixou 10 mil deles no campo, incluindo 6,9 mil mortos e feridos e 2,7 mil prisioneiros. Em meio às perdas estavam 560 oficiais — trezentos mortos e 260 capturados, entre […]

#757

3 de abril de 2019

Pedro da Rússia, Carlos XII da Suécia, Frederico IV da Dinamarca, Augusto II da Polônia, Luís XIV da França, Guilherme III da Inglaterra, Leopoldo da Áustria e maioria dos outros reis e príncipes daquela época, em algum momento deixaram suas diferenças serem resolvidas pela guerra. Ela era o árbitro final entre as nações dos séculos […]

#756

2 de abril de 2019

Na Europa Ocidental, a maior parte das campanhas militares acontecia de forma calma. Os cercos eram populares e muito preferidos em comparação aos riscos maiores e surpresas desagradáveis da batalha em campo aberto. A guerra de cerco era conduzida com precisão impressionante, quase matemática; de cada lado, a qualquer momento, o comandante sabia com exatidão […]

#751

28 de março de 2019

O ministro inglês no acampamento de Carlos XII, John Robinson, havia enviado a Londres uma previsão sombria sobre o papel que um Carlos vitorioso poderia ter como árbitro da Europa na Guerra da Sucessão Espanhola. “Que ele favorecerá os aliados, isso é muito incerto”, escreveu Robinson. “Que ele os forçará a uma paz desvantajosa não […]

#743

20 de março de 2019

Os tutores de Carlos XII da Suécia descobriram que ele tinha uma mente ágil e aprendia com facilidade. Não gostava muito da língua sueca e sempre apresentava nela problemas de fala e de escrita. O alemão, a língua da corte de todos os reinos ao norte, vinha com mais facilidade para ele, que o utilizava […]

#735

11 de março de 2019

Apesar das frustrações políticas para Carlos XII da Suécia, os anos na Polônia, de 1702 a 1706, foram uma era de glória militar, de explorações heroicas, de ampliação da lenda. No outono de 1702, por exemplo, seguindo a batalha de Klissow, Carlos, com apenas trezentos suecos, foi até os portões da Cracóvia e, de seu […]

#734

10 de março de 2019

Carlos XII sentia a moralidade insultada. Augusto o Forte, eleitor da Saxônia, rei da Polônia, seu primo, governante europeu culto, era um patife traiçoeiro, muito pior do que o czar. Pedro da Rússia pelo menos havia declarado guerra antes de atacar; Augusto simplesmente marchou Livônia adentro sem emitir qualquer aviso. Como Carlos poderia ter certeza […]

#731

6 de março de 2019

Quando a primavera de 1701 chegou, Carlos XII da Suécia ainda considerava a ideia de invadir a Rússia, mas com menos entusiasmo. Seu desprezo pelos soldados russos havia crescido e ele já os considerava indignos de serem combatidos. Tinha a impressão de que outra vitória sobre Pedro somente faria a Europa dar risada, ao passo […]

#729

4 de março de 2019

Um oficial sueco escreveu: “Se Weide tivesse tido coragem de nos atacar, certamente teria vencido, pois estávamos extremamente cansados, mal tínhamos comido ou dormido por vários dias e, além disso, nossos homens estavam bêbados com o álcool que encontraram nas tendas moscovitas; portanto era impossível que os poucos oficiais que sobraram conseguissem mantê-los em ordem”. […]

#728

3 de março de 2019

Em 30 de novembro de 1700, com os russos em uma forte posição defensiva em Narva, a infantaria sueca, concentrada em peso, deveria realizar o golpe principal. Distribuída em duas divisões, ela atacaria os fossos em um ponto próximo ao centro da linha. Uma vez ultrapassada a muralha, as duas divisões deveriam se separar, uma […]

#719

20 de fevereiro de 2019

Carlos XII da Suécia (1682 – 1718) foi o soldado mais atrevido e agressivo de sua geração. A impressão que os inimigos e uma Europa atenta tinham de Carlos era a de que ele estava ansioso por batalhas, a qualquer momento e contra quaisquer chances. Era extremamente devoto do movimento rápido e das táticas de […]

#718

19 de fevereiro de 2019

Aos dezoito anos, Carlos XII da Suécia estava nas profundezas de uma floresta, caçando um urso, quando soube que as tropas de seu primo, Augusto II da Polônia haviam invadido a Livônia sueca sem uma declaração de guerra. Ouviu a notícia calmamente, sorriu, virou-se para o embaixador francês e falou em voz baixa: “Faremos o […]

#715

16 de fevereiro de 2019

A Europa da segunda metade do século XVII era dominada pelo poder e pela glória de um único homem, Sua Mais Cristã Majestade, Luís XIV da França, o Rei Sol. Representado pela arte como Apolo, a divindade que personifica o Sol na mitologia greco-romana, e seus raios se estendiam de modo a afetar todos os […]

#659

6 de dezembro de 2018

Em 1685, Carlos II morreu sem deixar herdeiro legítimo e o trono passou para seu irmão mais novo, o melhor almirante inglês, Jaime, duque de York. Essa troca de monarcas alterou fortemente a posição inglesa. Jaime era sincero, direto, orgulhoso, objetivo e desprovido de sutilezas. Nascido protestante, converteu-se ao catolicismo aos 35 anos, demonstrando dali […]

#653

25 de novembro de 2018

O Rei Sol dava pessoalmente créditos a seus servos: “Uma cidade defendida por Vauban é uma cidade impenetrável; uma cidade cercada por Vauban é uma cidade tomada”. Sob a direção de Vauban, os cercos se transformaram em verdadeiros espetáculos teatrais formais, encenados e cronometrados de forma imaculada. Uma vez que a fortaleza estivesse cercada, Vauban […]

#643

8 de novembro de 2018

As guerras da Holanda contra a Inglaterra se deram no mar e nas colônias. Uma ameaça muito mais mortal para a Holanda viria pela terra. Para os homens reunidos em volta de Luís XIV em Versalhes, o sucesso da pequena república protestante era uma afronta à grandeza da França, um pecado contra sua religião e, […]

#605

2 de setembro de 2018

No final do século XVII, Amsterdã era o maior porto da Europa e a cidade mais rica do mundo. Construída onde dois rios, o Amstel e o Ij, fluem para o golfo Zuiderzee, a cidade foi erguida das águas. Estacas foram fincadas no terreno pantanoso para criar uma fundação e a água passou a fluir […]

#590

7 de agosto de 2018

O comércio e o transporte era a fonte de enorme riqueza do país. Os holandeses do século XVII eram um povo comerciante e que se beneficiava com o mar. Os dois portos irmãos de Amsterdã e Roterdã, situados nas duas fozes do Reno, estavam nas junções dos canais europeus e seus mais importantes rios com […]

#573

8 de julho de 2018

Além da produção de ferro e do cobre, essa riqueza também era construída com o império. O século XVII foi a era da grandeza da Suécia. Desde a ascensão, aos 16 anos, de Gustavo Adolfo, em 1611, até a morte de Carlos XII, em 1718, o país esteve no ápice de sua história imperial, cobrindo […]

#572

7 de julho de 2018

O Báltico é um mar setentrional, de um azul brilhante sob a luz do sol, cinza turvo sob a neblina e a chuva, e dourado intenso ao pôr do sol, quando o mundo se transforma no verdadeiro âmbar que só pode ser encontrado nessas encostas. Nas costas ao norte, o Báltico é adornado por florestas […]

#548

20 de maio de 2018

O Palácio de Hofburg, um labirinto confuso de construções erguidas ao longo dos séculos e ligadas por corredores e escadas escuras, pequenos quintais e enormes passagens. Nessa confusão de pedras e alvenaria, que nada tinha da simetria e elegância de Versalhes, o imperador e sua comitiva de 2 mil nobres e 30 mil servos abarrotavam-se […]

#536

22 de abril de 2018

Apesar da superficialidade do título imperial, o imperador tinha sua importância. A força da Casa de Habsburgo, sua receita, seu exército e poder vinham dos Estados e territórios realmente governados por ela: Áustria, Boêmia, Morávia, Silésia, Hungria, e as novas conquistas, que se estendiam desde os Cárpatos até a Transilvânia e atravessavam os Alpes até […]

#535

21 de abril de 2018

Sete quilômetros ao norte da antiga cidade de Viena erguem-se as duas colinas gêmeas de Kahlenberg e Leopoldsberg; no leste da cidade, o Danúbio segue a sul em direção a Budapeste; no oeste ficam os campos e as Florestas de Viena. Entretanto, apesar de toda a sua paisagem magnífica, em termos de tamanho Viena não […]

#531

11 de abril de 2018

Durante o longo reinado de Leopoldo I, apesar da apatia do imperador e da característica sufocante de sua burocracia, as fortunas do império cresceram. Isso pode ter ocorrido por conta da influência de Deus, conforme acreditava Leopoldo, porém, mais imediatamente, nas últimas décadas de seu reinado, as perspectivas e o poder de Leopoldo descansavam na […]

#511

24 de fevereiro de 2018

Sua Mais Católica Majestade Leopoldo I, imperador do Sacro Império Romano, arquiduque da Áustria, rei da Boêmia e da Hungria, não admitia que nenhum mortal, com a exceção do papa, estivessem em posição equivalente à sua. Aos olhos do imperador Habsburgo, Sua Mais Cristã Majestade, o rei da França, não era nada além de um […]

#384

3 de maio de 2017

Com 22 anos, no auge de sua juventude, para aqueles que viam o czar pela primeira vez, sua característica física de maior de destaque era a altura: com aproximadamente 2 metros, o monarca se elevava sobre todos à sua volta, ainda mais naqueles dias em que a média de estatura do homem comum era menor […]