“Todos os segredos da política consistem em mentir a propósito.”
— Madame de Pompadour

#662

11 de dezembro de 2018

O embaixador de Mântua escreveu: “Como ela tem grande autoridade sobre o papa, todos reconhecem que faz jus a grandes honrarias, cargos e favores, e compram sua eficiente mediação sob forma de extraordinárias gratificações, de modo que oferecê-las se tornou obrigatório”. Segundo o embaixador veneziano, “Dona Olimpia Maidalchini cunhada de Sua Santidade, a única recebedora […]

#661

9 de dezembro de 2018

Ben Jonson disse que durante anos Elizabeth não tinha visto o próprio reflexo, que as mulheres de sua câmara tinham despedaçado os espelhos para impedir que a rainha tivesse um relance de suas feições, pintadas com ocre vermelho. Mas ela pediu um espelho e olhou para o rosto “então magro e cheio de rugas, … […]

#660

8 de dezembro de 2018

A rebelião de Essex, em 1601, tem sido considerada o ponto de apostasia no governo de Elizabeth, o momento em que a tão longa e cuidadosamente cultivada imagem da rainha começou a decair. O brilho espalhafatoso começava a parecer de mau gosto. Por trás do cintilante edifício que era a pessoa da monarca, já se […]

#659

6 de dezembro de 2018

Em 1685, Carlos II morreu sem deixar herdeiro legítimo e o trono passou para seu irmão mais novo, o melhor almirante inglês, Jaime, duque de York. Essa troca de monarcas alterou fortemente a posição inglesa. Jaime era sincero, direto, orgulhoso, objetivo e desprovido de sutilezas. Nascido protestante, converteu-se ao catolicismo aos 35 anos, demonstrando dali […]

#658

4 de dezembro de 2018

Os holandeses e os ingleses seguiram os passos dos portugueses, com a vantagem de que podiam aprender com os erros dos pioneiros. Ambas as nações começaram a construir galeões elegantes que eram mais manobráveis e tinham um poder de fogo maior do que os pesados navios portugueses; além disso, reuniram marinheiros e soldados em uma […]

#657

2 de dezembro de 2018

O Grande Rei observava horrorizado o impensável acontecer ao seu redor. Mas, mesmo percebendo que os macedônios iriam vencer a batalha, ele se recusava a se render. Dário III ficou em sua biga de guerra, pronto para derrubar qualquer inimigo que se aproximasse. Alexandre não resistiu a um alvo tão perfeito. Se pudesse matar o […]

#656

1 de dezembro de 2018

Mesmo à mesa de negociação, não se considerou seguro sentar católicos e protestantes. Em consequência, os tratados tiveram de ser discutidos e finalmente assinados em duas cidades separadas, 50km distantes uma da outra — Münster para o imperador e seus aliados católicos, Osnabrück para as potências protestantes. Fez-se uma exceção para os representantes da França […]

#655

29 de novembro de 2018

Durante séculos, a Igreja fora a grande negociadora, a mediadora das guerras europeias. Dessa vez entretanto, além do papa não ter sido convidado para mediar o tratado, este foi assinado sob seus protestos veementes. Os tempos estavam mudando. A importância dos estados nacionais aumentava, enquanto a importância do papado diminuía. O Tratado de Vestfália foi […]

#654

27 de novembro de 2018

“Este não foi um ano inteiramente feliz”, admitiu Luís XIV, em particular, em seu diário, no último dia de 1673, na corte em Saint-Germain. “A guerra holandesa está se tornando uma guerra geral”. Algumas semanas depois, “nosso primo Carlos II, rei da Inglaterra”, assinou uma paz em separado com a Holanda, assim retirando da França […]

#653

25 de novembro de 2018

O Rei Sol dava pessoalmente créditos a seus servos: “Uma cidade defendida por Vauban é uma cidade impenetrável; uma cidade cercada por Vauban é uma cidade tomada”. Sob a direção de Vauban, os cercos se transformaram em verdadeiros espetáculos teatrais formais, encenados e cronometrados de forma imaculada. Uma vez que a fortaleza estivesse cercada, Vauban […]

#652

24 de novembro de 2018

Alimentada pela sangrenta Guerra dos Trinta Anos, a feroz rivalidade entre a França e a Espanha agitava a política do Vaticano, e até mesmo a vida cotidiana de Roma. Partidários da Espanha penduravam o real brasão espanhol sobre suas portas, enquanto seus inimigos, os partidários da França, penduravam sobre as portas a flor-de-lis francesa. Ambos […]

#651

22 de novembro de 2018

O Discurso sobre o método resumia o trabalho que Descartes realizou durante os primeiros anos da Guerra dos Trinta Anos (e dos Oitenta Anos) que assolava a Europa Central, foi seu primeiro livro publicado. Para ser exato, eram quatro pequenos livros reunidos em um único volume. Os três últimos eram ensaios dedicados à luz e […]

#650

20 de novembro de 2018

Ainda na escola, Descartes começara a lidar com a crescente aparência de precariedade dos fundamentos do conhecimento como se fosse uma crise pessoal sua. Ao escrever sobre isso no Discurso sobre o Método, seu questionamento dos valores surge como se se tratasse de uma crise psicológica ou intelectual, comum na transição dos adolescentes para a […]

#649

18 de novembro de 2018

Muitos imperialistas europeus acreditavam sinceramente que ao submeter outros povos a seu jugo eles os estavam libertando — de outros opressores ou de sua própria ignorância e atraso. O pirata Drake, inalcançável por qualquer lei enquanto navegava em volta ao mundo, autônomo e incontrolável em seu pequeno barco do qual era senhor absoluto, é uma […]

#648

17 de novembro de 2018

Na lenda que envolveu as aventuras de Drake, que não demorou a surgir, o Golden Hind aparece comoventemente pequenino, vulnerável e isolado, sozinho e sem qualquer apoio no avesso do mundo; mas para aqueles que defendiam os pequenos portos nos quais entrava, ele era temível. Diferente dos navios espanhóis que por ali navegavam, desprovidos de […]

#647

15 de novembro de 2018

Tendo começado em 1618, como uma querela religiosa entre estados católicos e protestantes, a guerra se transformou em um vale-tudo multinacional para a conquista de territórios de países vizinhos. A Guerra dos Trinta Anos foi a mais sangrenta e disseminada do início da idade moderna. Grande parte da Alemanha foi devastada. Centenas de milhares de […]

#646

13 de novembro de 2018

Apesar do interesse gerado pelos grandes desbravadores da ciência do fim do século XVI e início do século XVII — Galileu, Bacon, Harvey, Kepler, Brahe e outros —, os trabalhos deles eram fragmentados, de forma que o efeito imediato das intermináveis experiências, dissecações, observações e análises geraram mais confusão do que clareza. Os resultados não […]

#645

11 de novembro de 2018

A celebridade de Drake foi imediata e enorme. “Os membros da Câmara dos Comuns… reagiram com aplausos, elogios e manifestações de admiração”, escreveu Camden. Ele foi comparado a Jasão, a Hércules, ao próprio sol. “Seu nome e sua fama tornaram-se admirados por toda parte”, escreveu John Stow, “com as pessoas acorrendo diariamente em bandos pelas […]

#644

10 de novembro de 2018

No caminho para casa, Alexandre fez um desvio pelas montanhas da região central da Grécia para passar no templo sagrado de Delfos sob o Monte Parnaso. Como tantos reis antes dele, queria consultar o oráculo a respeito de sua próxima campanha militar. Infelizmente, foi informado que a sacerdotisa que falava por Apolo estava reclusa por […]

#643

8 de novembro de 2018

As guerras da Holanda contra a Inglaterra se deram no mar e nas colônias. Uma ameaça muito mais mortal para a Holanda viria pela terra. Para os homens reunidos em volta de Luís XIV em Versalhes, o sucesso da pequena república protestante era uma afronta à grandeza da França, um pecado contra sua religião e, […]

#642

6 de novembro de 2018

A Paz de Vestfália, de 1648, que, por convenção, marca surgimento do sistema estatal moderno, envolveu vários tratados que deram fim às guerras prolongadas entre os novos Estados poderosos que competiam pela cisão entre o catolicismo e o protestantismo, como a Guerra dos Oitenta Anos entre Espanha e os Países Baixos (uma das que proibiram […]

#641

4 de novembro de 2018

Em sua arrasadora maioria, segundo Samuel Pepys, a corte inglesa “ansiava por uma guerra com a Holanda”. Todavia, o único indivíduo cuja vontade realmente pesava não estava convencido. O segundo Carlos Stuart a ocupar o trono inglês era um homem de interesses diversificados. Tinha obsessão por relógios, aprazia-se em redesenhar os jardins reais e passava […]

#640

3 de novembro de 2018

Os homens de Drake, ao navegarem pela costa do Chile, ficavam indignados, porém não surpresos, ao verem espanhóis a cavalo com índios “correndo como cães atrás deles, completamente nus e na mais abominável servidão”. Ouviam histórias de espanhóis que torturavam seus escravos índios, jogando sobre eles gordura quente e chicoteando-os para satisfazer seu próprio prazer […]

#639

1 de novembro de 2018

Em Valparaíso, uma tripulação desavisada de marinheiros espanhóis, supondo que os homens de Drake fossem seus compatriotas, deram-lhes as boas-vindas a bordo com o rufar de tambores e brindes com vinho. Os ingleses responderam com um soco na cara do piloto, que em seguida sequestraram, desembarcando o restante da tripulação e partindo com o navio […]

#638

30 de outubro de 2018

Os confrontos anglo-espanhóis no mar não tinham cessado com o Tratado de Bristol assinado em 1573. Elizabeth proibira que se atacassem naus espanholas ao sul do equador durante três anos, enquanto fazia vista grossa para as lucrativas (e, para os espanhóis, as mais sensíveis) operações de piratas ao norte. John Hawkins financiou várias expedições no […]

#637

28 de outubro de 2018

Posicionado nos escritórios diplomáticos, em Haia, Downing tinha perspectiva panorâmica da situação. Via o globo terrestre cruzado pelas rotas comerciais holandesas. Postos comerciais holandeses pontilhavam a costa da Índia e se espalhavam pelo arquipélago indonésio. A Holanda era a única nação na Terra com a qual as ilhas japonesas negociavam. Os holandeses controlavam o comércio […]

#636

27 de outubro de 2018

“Nenhum homem é uma ilha, isolado em si mesmo.” O verso vem das “Devoções para situações emergentes”, do poeta e teólogo inglês John Donne. Ele escreveu essas meditações sob o fardo da fé cristã em 1623, quando esteve gravemente enfermo, numa época em que enfrentava uma das muitas “situações de emergência” da sua vida. A […]

#635

25 de outubro de 2018

O homem que, mais do que qualquer outro indivíduo, maquinaria a tomada de Manhattan encontra-se entre primeiros jovens acadêmicos da Nova Inglaterra, em 1642. Chamava-se George Downing. Era um rapaz sisudo e atlético, com 19 anos de idade, cuja ambição era tamanha que chegava a ser agressiva, e era também sobrinho do governador Winthrop. A […]

#634

23 de outubro de 2018

Cromwell havia surpreendido os líderes holandeses. Enquanto ele construía uma nova geração de grandes navios de guerra, os Estados-gerais da Holanda, depois da ameaça de conflito com o príncipe de Orange, por causa da insistência do governo central na dispensa de soldados, haviam diminuído o seu poderio militar, desde a paz de Westfália em 1648. […]

#633

21 de outubro de 2018

Apesar do estado precário das forças de defesa de sua nação, o vigoroso príncipe Guilherme de Orange, de 22 anos, recentemente designado capitão-general, tinha conseguido formar pela força de um exército holandês de 20 mil homens. Tendo cavado trincheiras e levantado muros de defesa, eles agora esperavam em Ijseel, na margem sul do Reno, em […]

#632

20 de outubro de 2018

“A antiga resistência parlamentar ficou fora de moda”, escreveu Colbert. “Já faz tanto tempo que as pessoas mal se lembram dela.” Quanto aos príncipes, estavam bastante ocupados, ao que parecia, fazendo dinheiro e politicagem social na corte novamente vibrante — “um antídoto às conspirações e Frondas”, como Luís XIV tinha observado. Portanto, não foi para […]

#631

18 de outubro de 2018

Seu fervor era primordial. Cromwell, planejava exportar a revolução puritana inglesa e fazer cabeças de monarcas rolarem pelos gramados europeus. Isso não ocorreu, mas transportada para a Nova Inglaterra, a ideia puritana de missão, de eleição divina, semeou a noção norte-americana do “destino manifesto”: de um povo predeterminado, primeiro, a conquistar o continente e, em […]

#630

16 de outubro de 2018

A história do nó górdio começa com um velho, um arado e uma águia. Existia um fazendeiro pobre chamado Górdio que estava um dia cultivando seu campo, quando uma águia veio e pousou sobre o jugo de seu arado. O pássaro sagrado de Zeus foi uma visão impressionante para Górdio, que foi imediatamente até uma […]

#629

14 de outubro de 2018

Assim como fez com Stuyvesant (o último Diretor-geral da Nova Holanda), a história encobriu o rosto de Cromwell com uma máscara de papelão. É certo que ambos eram sombrios e obsessivos. Por outro lado, Cromwell não foi apenas o criador do império britânico: foi também responsável pela configuração da América do Norte em seus primórdios. […]

#628

13 de outubro de 2018

Carlos I Inglaterra, dedicava aos cavalos e aos holandeses sentimentos exatamente opostos. conforme demonstram o célebre retrato equestre de Carlos, pintado por Antony Van Dyck, e sua estátua equestre localizada na Trafalgar Square, na cidade de Londres, em sua sela o monarca sentia-se melhor do que nunca. Era tamanha a sua devoção às corridas, que […]

#627

11 de outubro de 2018

Desde o século XV, os africanos chegaram à Europa, em pequeno número, mas, nos Países Baixos, sua quantidade aumentou perceptivelmente no século XVII. Eles iam para lá como marinheiros, trabalhadores braçais e criados nas cidades portuárias de Antuérpia e Amsterdã, mas principalmente como escravos. As leis dessas cidades permitiam que os escravos pedissem alforria às […]

#626

9 de outubro de 2018

É fácil reconhecer “Os jogadores de cartas” como uma pintura holandesa dos meados século XVII, mas é improvável que a confundam com um Vermeer. Os elementos já conhecidos estão presentes: as janelas à esquerda, os quadrados de mármore em diagonal, uma fila de azulejos de Delft onde a parede se une ao chão, um tapete […]

#625

7 de outubro de 2018

O cultivo de cravos no Oriente fora do controle holandês era punido com pena de morte, e o comércio clandestino reprimido. O porto de Makassar, um centro comercial regional onde os ingleses, portugueses e chineses iam comprar cravos contrabandeados, foi fechado. Houve um caso semelhante nas ilhas da Banda, que ficavam ali perto e eram […]

#624

6 de outubro de 2018

Quando Francis Drake passou pelas Molucas em 1579, e observou que as ilhas produziam uma “abundância de cravos, de que nos abastecemos em grande monta, tão grande quanto nosso desejo de que seu preço fosse muito baixo”. A viagem de Drake inspirou várias tentativas subsequentes de outros marinhos ingleses, todas terminadas em fracasso. Durante algum […]

#623

4 de outubro de 2018

Uma ou duas visitas sérias chegaram para interromper a diversão e os jogos de Cristina em Antuérpia. Klaes Tott viera de Estocolmo, com um convite de Carlos Gustavo, para a rainha voltar para casa. O amor e a lealdade haviam motivado o convite do novo rei, pois nada tinha a ganhar com o retorno de […]

#622

2 de outubro de 2018

Viajando a toda brida, dirigiu-se então à fronteira dinamarquesa com um grupo de oficiais atormentados a reboque. Em Halmstad, despediu-se deles e também, significativamente, de seu capelão luterano. Foi um gesto insensato, dada contínua necessidade de esconder suas intenções, mas Cristina não se achava em clima de preocupação. Com apenas quatro cavalheiros para acompanhá-la, nenhum […]

#621

30 de setembro de 2018

A capacidade europeia de organizar e manter operações comerciais em escala global dependia, em parcela nada pequena, das novas tecnologias que acompanhavam o comércio marítimo. Em 1620, o polímata inglês Francis Bacon escolheu citar três “descobertas mecânicas” que, em sua opinião, “mudaram todo o aspecto e o estado das coisas no mundo inteiro”. Uma delas […]

#620

29 de setembro de 2018

Em meados do século XVII, a casa holandesa era decorada com porcelana. A arte imitou a vida, e os pintores puseram pratos chineses em cenas domésticas para dar um toque de classe e uma pátina de realidade. Em Delft, a porcelana chinesa começou a ficar disponível antes da época de Vermeer. A nau capitânia da […]

#619

27 de setembro de 2018

“Drake é um homem de estatura mediana, louro, mais para gordo do que para esbelto, alegre, cuidadoso… Ele pune de maneira resoluta. Sagaz, inquieto, eloqüente, inclinado à liberdade e à ambição, fanfarrão, gabolas, não muito cruel”. Assim foi ele descrito por um alto funcionário espanhol em Santo Domingo que teve bastante oportunidade de observá-lo no […]

#618

25 de setembro de 2018

Em setembro de 1580, um barco de pesca em alto-mar à altura de Plymouth foi saudado com a seguinte pergunta por uma nau que retornava: “Como está a rainha?” O navio era o Golden Hind e a razão da pergunta de Drake era mais aflitiva do que uma preocupação sentimental pela saúde de Elizabeth. Já […]

#617

23 de setembro de 2018

Durante século XVI, a caça excessiva de castores na Europa forçaram os chapeleiros a usar lã de ovelha para fazer feltro. O feltro de lã não é ideal para chapéus, porque a lã é mais grossa, e sua capacidade natural de cobrir é menor do que a do pelo do castor. Mas no final do […]

#616

22 de setembro de 2018

Vermeer deve ter possuído vários chapéus. Nenhum documento menciona isso, mas nenhum holandês de sua geração e posição social sairia às ruas com a cabeça descoberta. Basta dar uma olhada nas pessoas no primeiro plano de “Vista de Delft” para ver que todos, homens e mulheres, usam chapéu ou alguma cobertura na cabeça. Os pobres […]

#615

20 de setembro de 2018

Um mês após a segunda audiência do embaixador holandês com o rei da Inglaterra, a resposta oficial de Carlos chegou a Haia. O rei declarava não ter qualquer intenção de suprimir os livros virulentos publicados na Inglaterra que abordassem o massacre de Amboina (eis a resposta do monarca à indignação holandesa: “nada, senão o bálsamo […]

#614

18 de setembro de 2018

Os ingleses tinham um motivo especial para, naquele momento, cobiçar as terras holandesas na América do Norte. O torvelinho de ações geopolíticas que envolvia as duas potências emergentes havia se cristalizado em um evento, um daqueles incidentes aparentemente menores, distantes, cujos ecos históricos alcançariam proporções incompatíveis com a dimensão do ocorrido. Em 1623, numa das […]

#613

16 de setembro de 2018

Foi Otaviano — futuro imperador Augusto — quem resolveu que Cleópatra conspirava para fazer de Roma uma província do Egito, ideia muito improvável de ter passado pela cabeça ágil dela. Otaviano tinha a seu favor a conhecida imagem da esposa gastadeira e conspiradora, para quem nenhum diamante era grande o bastante, nenhuma casa suficientemente espaçosa. […]