#706

4 de fevereiro de 2019

Diversos poderosos intrigavam-se com a ideia de essa estranha e mal-compreendida nova ferramenta — o cartesianismo — tornar-se realmente parte do arsenal da Igreja ou do Estado. O clima alternava-se entre o de curiosidade e o de medo. Portanto, a situação dos cartesianos no final do século XVII espelhava, de certa forma, aquela dos primeiros […]

#703

1 de fevereiro de 2019

Os jesuítas Malines e Casati haviam afinal chegado a Estocolmo depois de uma viagem árdua e dominada por tempestade, incluindo uma etapa por gôndola, e já vinham instruindo sua majestade nas doutrinas da fé católica. De Viena, um dos próprios espiões da rainha sueca enviara um aviso de que se acreditava que “não menos de […]

#700

28 de janeiro de 2019

O filosofo americano Richard Watson, escrevendo sobre a explicação aristotélica, aproximou a noção dos “acidentes” que miraculosamente mantêm a falsa aparência a um “escudo” que cobre a verdadeira substância, e acrescentou: “São conhecidas numerosas histórias de o escudo cair de tal forma que o padre deparava-se comum autêntico pedaço de carne ou, mais espetacularmente, um […]

#695

22 de janeiro de 2019

Uma ideia perturbou Descartes pela primeira vez em 1630, de uma maneira aparentemente inócua, quando ele refletia sobre ótica e cores. Ao partir um pão, seu interior mostra-se branco. Claro que a brancura está no próprio pão, não é mesmo? A partir desta percepção mundana, sua mente percorreu uma cadeia lógica que ameaçava as principais […]

#694

21 de janeiro de 2019

O que exatamente constitui um objeto material? A tentativa de responder a essa pergunta lançava o físico e seu público nas profundezas da filosofia. “Em conexão com a ‘crença’ na existência do ‘ser físico’”, anotou o advogado, “buscamos compreender o que é que nos convence dessa crença. O calor, por exemplo, não é a essência, […]

#649

18 de novembro de 2018

Muitos imperialistas europeus acreditavam sinceramente que ao submeter outros povos a seu jugo eles os estavam libertando — de outros opressores ou de sua própria ignorância e atraso. O pirata Drake, inalcançável por qualquer lei enquanto navegava em volta ao mundo, autônomo e incontrolável em seu pequeno barco do qual era senhor absoluto, é uma […]

#648

17 de novembro de 2018

Na lenda que envolveu as aventuras de Drake, que não demorou a surgir, o Golden Hind aparece comoventemente pequenino, vulnerável e isolado, sozinho e sem qualquer apoio no avesso do mundo; mas para aqueles que defendiam os pequenos portos nos quais entrava, ele era temível. Diferente dos navios espanhóis que por ali navegavam, desprovidos de […]

#640

3 de novembro de 2018

Os homens de Drake, ao navegarem pela costa do Chile, ficavam indignados, porém não surpresos, ao verem espanhóis a cavalo com índios “correndo como cães atrás deles, completamente nus e na mais abominável servidão”. Ouviam histórias de espanhóis que torturavam seus escravos índios, jogando sobre eles gordura quente e chicoteando-os para satisfazer seu próprio prazer […]

#638

30 de outubro de 2018

Os confrontos anglo-espanhóis no mar não tinham cessado com o Tratado de Bristol assinado em 1573. Elizabeth proibira que se atacassem naus espanholas ao sul do equador durante três anos, enquanto fazia vista grossa para as lucrativas (e, para os espanhóis, as mais sensíveis) operações de piratas ao norte. John Hawkins financiou várias expedições no […]

#611

13 de setembro de 2018

Depois de Lepanto, espanhóis e otomanos chegaram a um tratado em 1580 que reconheceu um impasse entre dois impérios e dois mundos. A partir desse momento, a fronteira diagonal que percorria o cumprimento do Mediterrâneo, entre Istambul e os portões de Gibraltar, endureceu. Os concorrentes deram as costas um para o outro; os otomanos lutaram […]

#593

12 de agosto de 2018

Os leitores holandeses ouviram falar da porcelana chinesa em 1596 por meio de Jan Huygen van Linschoten, holandês que foi à Índia a serviço dos portugueses. “Itinerário”, seu livro de sucesso, inspirou a geração seguinte de comerciantes mundiais holandeses. Van Linschoten viu a porcelana chinesa nos mercados de Goa. Embora nunca tenha ido à China, […]

#587

2 de agosto de 2018

“Essa questão de recorrer aos piratas, ou, se assim quiser chamá-los, aos nossos aventureiros, que roubam diariamente os espanhóis e os flamengos, é matéria de grande e longa consequência. Pelo amor de Deus, eu lhe solicito tomar alguma medida quanto a isso, para que alguns possam ser capturados e executados”, escreveu Cecil, ansioso por preservar […]

#586

31 de julho de 2018

Ao rejeitar tão decididamente a autoridade papal, Elizabeth e seus ministros, implicitamente, desafiavam a Espanha. O conflito que iria dominar tantos aspectos de seu reinado e que resultaria, em seu episódio mais famoso (se não o mais conclusivo), na vitória sobre a Invencível Armada, tinha raízes na aliança firmada desde 1493 entre a coroa espanhola […]

#581

22 de julho de 2018

Os diretores podiam se dar ao luxo de receber reclamações das colônias com equanimidade. Os tempos eram muito bons para a Companhia das Índias Ocidentais holandesa. O principal objetivo do empreendimento naqueles tempos era lucrar com o combate aos espanhóis e, em 1628, a companhia “descobriu a mina”. Durante quase um século, as riquezas que […]

#580

21 de julho de 2018

A expansão marítima da Europa, que teria efeitos profundos de longo prazo em todos os lugares, originou-se de uma combinação de necessidade estratégica, fervor religioso, busca de riqueza e sentimento de aventura. Com a expulsão dos mouros na Espanha em 1492 e a ascensão de uma monarquia espanhola destinada a dominar a Europa aconteceram no […]

#579

19 de julho de 2018

De início, a estratégia de Elizabeth em relação a Espanha e aos holandeses após o tratado assinado em Bristol, de 1574, parece contraditória, quando não contra-producente. Gostasse dos holandeses ou não (em geral não gostava), Elizabeth não podia permitir que a Espanha os suprimisse por completo, embora isso tivesse de ser feito, ao mesmo tempo […]

#578

17 de julho de 2018

A resposta inglesa à matança tem sua epítome na reação de Edmund Grindal, futuro bispo de Londres, em geral moderado, que pediu que todos os católicos ingleses fossem presos e que a cabeça de Maria Stuart fosse cortada imediatamente. À medida que a descrição dos horrores perpetrados contra os huguenotes franceses continuava a chegar a […]

#561

17 de junho de 2018

Vermeer viveu perto do fim do chamado século da prata, que começou por volta de 1570. Nunca antes esse metal precioso circulou em tamanha quantidade na bolsa dos viajantes, nas costas dos animais de carga, em barcos pelos rios e, principalmente, no porão dos juncos chineses e das carracas europeias que, incansáveis, singravam as águas […]

#560

16 de junho de 2018

A Espanha era um império decido a dominar o mundo, e em meados do século XVI, parecia estar perto desse objetivo. Em 1526, Gonzalo Fernández de Oviedo dirigiu-se ao rei da Espanha chamando-o de “monarca único e universal de todo o mundo”. Falava de maneira figurada, mas também como algo que poderia acontecer. A descoberta […]

#551

27 de maio de 2018

Lepanto foi uma cena de devastação impressionante, como uma pintura bíblica do fim do mundo. A escala do massacre deixou até mesmo os vencedores exaustos, abalados e chocados com a obra de suas mãos. Em quatro horas, havia 40 mil homens mortos, cerca de 100 embarcações destruídas e 137 navios muçulmanos capturados pela Liga Santa. […]

#550

26 de maio de 2018

O que os sobreviventes lembrariam — quando recordassem a batalha de Lepanto — era o barulho. “Tão grande era o ribomar dos canhões no início”, escreveu Caetani, “que não é possível imaginar ou descrever”. Atrás da detonação vulcânica das armas, vinham outros sons: o estalo agudo dos remos como tiros sucessivos de pistola, os choques […]

#549

23 de maio de 2018

Na primavera de 1565, o grão-mestre tinha setenta anos. Atrás dele havia uma vida de serviço ininterrupto à ordem. Excepcionalmente entre os cavaleiros, a partir do momento em que vestiu a túnica da ordem, aos vinte anos, nunca mais voltou para a casa de sua família, na França. Ele dera tudo para a guerra em […]

#528

4 de abril de 2018

Em 1528, Carlos V conseguiu roubar os serviços de Andrea Doria, o grande almirante genovês da época, de seu rival, o rei da França. Doria era membro da antiga nobreza da cidade e um condottiere, um soldado de fortuna. Desiludido com Francisco I, mudou de lado por honorários consideráveis, mas ele representava um bom valor […]

#516

7 de março de 2018

Desde a queda de Rodes, os cavaleiros de São João vinham perambulando sem teto pelo Mediterrâneo. L’Isle Adam tinha dirigido a cada um dos potentados da Europa uma petição de uma nova base para continuar a missão da ordem santa. Em Londres, Henrique VIII tinha recebido o velho homem com gentileza e lhe fornecido armas. […]

#512

25 de fevereiro de 2018

Na chuva de outono de 1529, o cerco de Viena liderado por Solimão o Magnífico tinha sido paralisado. No início de outubro, começou a esfriar; as linhas de abastecimento se tornaram mais prolongadas, e o tempo hostil. No dia 14 daquele mês, ele fez um pequeno registro em seu diário de campanha, no estilo telegráfico habitual, […]

#477

6 de dezembro de 2017

A palavra que Fang Yizhi usa para o fumo é danrouguo, “fruto carnudo da planta danbagu”. Danbagu era o nome que os chineses das Filipinas davam ao fumo. Cunharam-no como transliteração grosseira do espanhol tabaco, que por sua vez, os espanhóis tinham transliterado da palavra caribenha que denominava a cana-oca em que os indígenas caribenhos […]

#471

22 de novembro de 2017

O fumo foi até a China por três rotas: a rota portuguesa para leste, do Brasil até Macau; a rota espanhola para oeste, do México até Manila; e uma terceira rota, que consistia de uma série de viagens curtas pela Ásia oriental, até Beijing. A primeira e a segunda rotas desenvolveram-se mais ou menos ao […]

#466

11 de novembro de 2017

A prata corria para leste, de Potosí até a Europa, e, depois, da Europa para a Ásia, mas não era essa a única rota até a China, muito menos a mais importante. O dobro do volume de prata que ia para leste também ia para oeste; primeiro até o litoral, e daí para Acapulco, de […]

#168

13 de dezembro de 2015

Esse “mercado universal do mundo” começava a preocupar os observadores mais perspicazes. Por trás do fabuloso enriquecimento do príncipe (Sevilha), enxergavam nesse fluxo de mercadorias vindas de toda parte a crescente dependência de uma produção estrangeira com a qual a Espanha não podia competir. Mas, a olhos menos atentos, essa feira permanente era o próprio […]

#167

12 de dezembro de 2015

“Quien no vio Sevilha no vio maravilha”, diz um conhecido ditado espanhol que nunca foi tão verdadeiro como naquela época em que a Espanha, a despeito do desastre da Invencível Armada contra a Inglaterra, ainda estava no auge de seu poderio. O tráfico com as Índias, que desde o começo do reinado surpreendia os viajantes […]

#150

5 de novembro de 2015

Os europeus tiveram o primeiro contato com as batatas nos anos 1530, quando os conquistadores espanhóis se aventuraram na tomada do Império Inca, que se estendia até a costa oeste do continente sul-americano. Elas eram o esteio da dieta inca, ao lado do milho e do feijão. Originalmente domesticadas na região do lago Titicaca, espalharam-se […]

#88

13 de junho de 2015

Como tanto, árabes quanto judeus estavam profundamente integrados na sociedade espanhola e tinham convivido num extraordinário grau de harmonia com os cristãos até o século XV, essa foi uma tarefa difícil e até mesmo desapropositada: implementá-la envolveu extremos selvagens de crueldade e de injustiça, que foram apoiados totalmente pela Igreja Católica. De fato, havia algo […]

#86

7 de junho de 2015

A Inquisição espanhola foi inicialmente autorizada pelo papa Sisto IV, a pedido dos governantes da Espanha, Fernando e Isabel, em 1478. Esses “monarcas muito católicos” estavam perplexos e perturbados pela relativa tolerância da fé que havia desenvolvido em seu país. Alianças foram formadas entre nobres cristãos e muçulmanos. Famílias católicas, incluindo algumas das mais eminentes […]

#85

6 de junho de 2015

O ano de 1547 foi decisivo. Nele desaparecem dois monarcas de primeiríssima importância, Francisco I da França e Henrique VIII da Inglaterra, temíveis adversários do império dos Habsburgo falecidos quando Carlos V estava no auge do poder. Embora tenha reinado por trinta anos sobre Castela e Aragão, Nápoles e Sicília, os Países Baixos e o […]

#75

14 de maio de 2015

Este digo que é o rosto do autor de La Galatea e de D. Quixote de La Mancha e do que fez A Viagem de Parnaso, à imitação de César Caporal Perusino, e outras obras que andam por aí desgarradas, quem sabe sem o nome de seu dono, chama-se comumente de Miguel de Cervantes Saavedra. […]

#19

23 de janeiro de 2015

Antes que a prata pudesse ser transportada, tinha de ser cunhada em reais na Casa da Moeda de Potosí. A maior parte ia para Europa por duas rotas diferentes, a oficial e a “porta dos fundos”. A rota oficial, sob o controle da coroa espanhola, seguia para oeste, por sobre as montanhas, até o porto […]

#12

16 de janeiro de 2015

Os primeiros que foram levados até lá pelos índios, em 1545, acharam que os seus sonhos mais desvairados tinham se realizado. Indivíduos de toda a Europa e da América do Sul acorreram àquele lugar árido para extrair prata ou fornecer os bens e serviços necessários a uma cidade. Quase da noite para o dia, Potosí […]