#906

11 de fevereiro de 2020

Em geral, uma guerrilha vence se evita perder; um exército convencional perde se não tiver uma vitória decisiva. No entanto, não existe um fundamento segundo o qual o exército de guerrilha possa ser mobilizado ou exaurido. Os franceses não só tiveram dificuldades em razão desse obstáculo básico como também cometeram erros estratégicos fundamentais. Eles não […]

#875

19 de dezembro de 2019

O legado de Woodrow Wilson, o desejo nacional de autodeterminação e independência dos territórios colonial, também foi importante. A reivindicação era muito mais do que uma questão política. Foi um impulso moral e emocional de autoafirmação, fundamentado no sentimento impreciso porém vigoroso das identidades de raça, etnia e religião. Pouco se relacionava com as qualidades […]

#874

17 de dezembro de 2019

Para os ingleses e os franceses, a Segunda Guerra Mundial na verdade durou de 1938 a 1949, e agora havia um desejo veemente de segurança e redução de despesas. Os governos em Londres e Paris sofreram grandes pressões de todos os lados para se desfazerem de seus impérios dispendiosos. As pressões dos americanos também tiveram […]

#857

28 de julho de 2019

A percepção de agressão e ameaça russas era amplificada na França pelo marquês de Custine, cujo divertido diário de viagem La Russie en 1839 fez mais que qualquer outra publicação para moldar a postura europeia em relação à Rússia no século XIX. Um relato das impressões e reflexões do nobre a partir de uma viagem […]

#856

27 de julho de 2019

Napoleão I foi particularmente influenciado pelo falso “Testamento de Pedro I”. Seus principais conselheiros de política externa citavam livremente suas ideias e sua fraseologia, alegando, nas palavras de Charles Maurice de Talleyrand, o ministro das Relações Exteriores do Diretório e do Consulado (1795-1804) que “todo o sistema [do império russo] seguido constantemente desde Pedro I […]

#852

22 de julho de 2019

O meio-irmão do príncipe Gong, o imperador Xianfeng, determinou que, como grão-príncipe, ele não deveria se rebaixar e receber os europeus pessoalmente, embora fossem eles os vencedores. No entanto, o príncipe era uma pessoa prática e sabia que a ordem do irmão era irrealista. Assinou os tratados em pessoa com os britânicos e franceses, tendo […]

#848

18 de julho de 2019

O tsar Nicolau I deixou a Inglaterra com a firme convicção de que as conversas que tivera com os ministros Peel e Aberdeen eram definições políticas e que podia contar com uma parceria com a Grã-Bretanha com o objetivo de conceber um plano coordenado para a partição do decadente Império Otomano quando isso se tornasse […]

#794

17 de maio de 2019

Mesmo na Alemanha, a primavera de 1942 levou à percepção de que as rações de alimentos dentro do Reich teriam de ser reduzidas. Em vista da convicção de Hitler de que a própria segurança do regimeestava ligada à manutenção dos padrões de vida alemães, foi com certeza uma das crises políticas mais graves por que […]

#793

16 de maio de 2019

Ainda que o bolo continental estivesse encolhendo, o Reich conseguiu consumir fatias cada vez maiores dele. Embora não fosse mais que uma potência mundial de médio tamanho, a força bruta permitiu que a Alemanha reorientasse uma proporção muito significativa do comércio e da produção europeus para si mesma. Entre 1940 e 1944, a contribuição dos […]

#786

7 de maio de 2019

Mussolini levou a Itália a entrar na guerra uma semana antes do armistício, na esperança de lucrar com a ação antes que tudo terminasse, a tempo de colher ricas sobras e deleitar-se com a glória de uma vitória barata. Hitler não ficou feliz ao saudar seu novo camarada de armas quando foi, em 18 de […]

#785

6 de maio de 2019

A ofensiva alemã contra as potências ocidentais avançou num ritmo tão impressionante que assombrou o mundo. Até mesmo Hitler e seus comandantes militares não esperavam por esse nível de sucessos iniciais. No flanco setentrional, os holandeses renderam-se em cinco dias, e a rainha e o governo exilaram-se na Inglaterra. Antes disso, o bombardeio aterrorizante da […]

#780

30 de abril de 2019

Desde os anos 1920, Keynes era conhecido nos Estados Unidos como um economista que, em lugar de enterrar-se em teorias abstrusas, canalizava as energias para soluções práticas. Assim como na Grã-Bretanha, ele irrompeu no cenário norte-americano no fim da Primeira Guerra Mundial com As Consequências Econômicas da Paz, cuja publicação coincidiu com a campanha desesperada […]

#779

29 de abril de 2019

Keynes, acreditando que as reparações se mostrariam desastrosas para a perspectiva de paz permanente na Europa, sentia-se cada vez mais infeliz. “Estou profundamente esgotado, em parte pelo trabalho e em parte pela depressão pelo mal em torno de mim”, escreveu para a mãe. “A Paz é ultrajante e impossível e não pode trazer nada a […]

#776

26 de abril de 2019

Quando se fez a paz em 1918, John Maynard Keynes ficou contente por ter resistido a retirar-se para a tranquila irresponsabilidade de King’s College. Mas o fim da guerra não lhe concedeu o desencargo de seu trabalho público. Como um dos chefes da política britânica de guerra, em janeiro de 1919 partiu para a Conferência […]

#775

25 de abril de 2019

Quando os canhões silenciaram, em 11 de novembro de 1918, o mundo estava bem diferente do que fora em 1914. Em toda a Europa as velhas fissuras nas sociedades, temporariamente empapeladas no começo do conflito, ressurgiram à medida que a guerra seguiu seu curso, trazendo ônus cada vez mais pesados. À medida que a intranquilidade […]

#774

23 de abril de 2019

Naquele outono, alemães e aliados fizeram esforços desesperados para desbordar as posições do inimigo. As baixas se acumularam, mas a vitória continuava indefinida. No fim de 1914, 265 mil soldados franceses tinham morrido, e os ingleses perderam 90 mil homens. Alguns regimentos alemães sofreram 60% de baixas. No outono, os alemães perderam 80 mil homens […]

#768

17 de abril de 2019

Cada vez mais o imperialismo era visto como expressão de vitalidade e poder de uma nação e um investimento para o futuro, e não mais como meio de assegurar espaço para expansão. Como afirmou o almirante Tirpitz em 1895, quando sonhava com um grande Império e uma grande marinha alemã: “Em minha opinião, no próximo […]

#767

15 de abril de 2019

Evidentemente, Luís XIV tinha aprendido pouco com os desastrosos e empobrecedores anos de guerra que ele próprio tinha provocado. A França não tinha ganhado quase nada “com todo esse desperdício de riqueza e perda de vidas”. Mas Luís agora tinha 75 anos de idade. O mundo deveria ser poupado de outras devastações inspiradas por sua […]

#766

14 de abril de 2019

A França foi salva da derrota na Guerra da Sucessão Espanhola. Mas não tanto pelo talento de seus generais, pela força de suas defesas ou pela determinação de seu povo, e sim pela morte inesperada, em 1711, do imperador José, que tinha sucedido a seu pai no trono do Sacro Império Romano em 1705. José, […]

#758

5 de abril de 2019

A desesperadora situação da França na Guerra da Sucessão Espanhola levou a representação de Luís XIV como pai do povo, amando-o como a seus próprios filhos. Foi um golpe de mestre em termos de relações públicas, assim como sua conclamação a seu emergente sentimento de nacionalidade comum enquanto franceses. Nessa conclamação churchiliana “avant la lettre”, […]

#756

2 de abril de 2019

Na Europa Ocidental, a maior parte das campanhas militares acontecia de forma calma. Os cercos eram populares e muito preferidos em comparação aos riscos maiores e surpresas desagradáveis da batalha em campo aberto. A guerra de cerco era conduzida com precisão impressionante, quase matemática; de cada lado, a qualquer momento, o comandante sabia com exatidão […]

#753

30 de março de 2019

Em junho de 1709, as finanças da França estavam numa desordem irremediável; as linhas de suprimento militar estavam falhando; e na ausência de uma orientação firme por parte do Ministério da Guerra, os comandantes por toda a Europa ocidental tinham começado a atormentar madame de Maintenon na tentativa de conquistar o apoio do rei para […]

#752

29 de março de 2019

Embora Turenne, Luxemburgo e Grande Condé há muito já tivessem se tornado lenda, os “verdadeiros soldados” da França incluíam alguns nomes admiráveis: Vendôme, Villars, o sexagenário marechal Bouffleers e, não menos, Sébastien Vauban, agora em seus 70 anos e ainda o engenheiro militar mestre da Europa. “Contra nós, temos dois ilustres generais: milorde Marlborough e […]

#730

5 de março de 2019

Nas seis semanas seguintes à partida de seu neto para assumir o trono da Espanha, Luís XIV reconheceu que não seria possível evitar a guerra. As outras potências europeias, grandes e pequenas, não aceitariam uma superpotência Bourbon estendendo-se do Canal da Mancha até Gibraltar, atravessando a Itália (Milão e Nápoles) e as regiões mais ricas […]

#721

22 de fevereiro de 2019

“O que o resto da Europa dirá se aceitarmos este generosíssimo legado de sua majestade católica?”, ponderou Luís XIV. Se ele aceitasse o testamento, o trono espanhol passaria ao segundo filho do delfim, o duque de Anjou, com 17 anos, cujo irmão mais velho, o duque de Borgonha, era obrigado a permanecer na França como […]

#720

21 de fevereiro de 2019

No outono de 1697, com a assinatura de uma série de tratados na cidade holandesa de Rijswijk, a guerra do Rei Sol contra a Grande Aliança — nada menos que metade da Europa — tinha finalmente chegado ao fim. Após nove anos de lutas, ninguém tinha ganhado muito. Territórios conquistados com muita dificuldade foram devolvidos; […]

#715

16 de fevereiro de 2019

A Europa da segunda metade do século XVII era dominada pelo poder e pela glória de um único homem: Sua Mais Cristã Majestade, Luís XIV da França, também conhecido como o Rei Sol. Representado na arte como Apolo, a divindade que personifica o Sol na mitologia greco-romana, e seus raios realmente se estendiam de modo […]

#710

9 de fevereiro de 2019

“Uma filha deve obedecer a seu pai, mesmo que ele queira lhe dar um macaco como marido”, diz Dorine à sua desesperada e jovem patroa em Tartufo, de Molière. De fato, o próprio pai de Maria Luísa talvez tivesse condescendido, ou assim pensava madame de Sévigné: “As pessoas estão dizendo: Oh monsieur é muito bondoso; […]

#709

8 de fevereiro de 2019

“A rainha da Espanha está chorando e se lamentando”, escreveu madame de Sévigné, um ano e uma semana depois, em meados de setembro de 1679. Mas, embora a “casa pessoal” de Luís XIV não estivesse mais em ordem do que um ano antes, não era à negligenciada Maria Teresa (esposa espanhola de Luís) que madame […]

#659

6 de dezembro de 2018

Em 1685, Carlos II morreu sem deixar herdeiro legítimo e o trono passou para seu irmão mais novo, o melhor almirante inglês, Jaime, duque de York. Essa troca de monarcas alterou fortemente a posição inglesa. Jaime era sincero, direto, orgulhoso, objetivo e desprovido de sutilezas. Nascido protestante, converteu-se ao catolicismo aos 35 anos, demonstrando dali […]

#656

1 de dezembro de 2018

Mesmo à mesa de negociação, não se considerou seguro sentar católicos e protestantes. Em consequência, os tratados tiveram de ser discutidos e finalmente assinados em duas cidades separadas, 50km distantes uma da outra — Münster para o imperador e seus aliados católicos, Osnabrück para as potências protestantes. Fez-se uma exceção para os representantes da França […]

#655

29 de novembro de 2018

Durante séculos, a Igreja fora a grande negociadora, a mediadora das guerras europeias. Dessa vez entretanto, além do papa não ter sido convidado para mediar o tratado, este foi assinado sob seus protestos veementes. Os tempos estavam mudando. A importância dos estados nacionais aumentava, enquanto a importância do papado diminuía. O Tratado de Vestfália foi […]

#654

27 de novembro de 2018

“Este não foi um ano inteiramente feliz”, admitiu Luís XIV, em particular, em seu diário, no último dia de 1673, na corte em Saint-Germain. “A guerra holandesa está se tornando uma guerra geral”. Algumas semanas depois, “nosso primo Carlos II, rei da Inglaterra”, assinou uma paz em separado com a Holanda, assim retirando da França […]

#653

25 de novembro de 2018

O Rei Sol dava pessoalmente créditos a seus servos: “Uma cidade defendida por Vauban é uma cidade impenetrável; uma cidade cercada por Vauban é uma cidade tomada”. Sob a direção de Vauban, os cercos se transformaram em verdadeiros espetáculos teatrais formais, encenados e cronometrados de forma imaculada. Uma vez que a fortaleza estivesse cercada, Vauban […]

#652

24 de novembro de 2018

Alimentada pela sangrenta Guerra dos Trinta Anos, a feroz rivalidade entre a França e a Espanha agitava a política do Vaticano, e até mesmo a vida cotidiana de Roma. Partidários da Espanha penduravam o real brasão espanhol sobre suas portas, enquanto seus inimigos, os partidários da França, penduravam sobre as portas a flor-de-lis francesa. Ambos […]

#651

22 de novembro de 2018

O Discurso sobre o método resumia o trabalho que Descartes realizou durante os primeiros anos da Guerra dos Trinta Anos (e dos Oitenta Anos) que assolava a Europa Central, foi seu primeiro livro publicado. Para ser exato, eram quatro pequenos livros reunidos em um único volume. Os três últimos eram ensaios dedicados à luz e […]

#650

20 de novembro de 2018

Ainda na escola, Descartes começara a lidar com a crescente aparência de precariedade dos fundamentos do conhecimento como se fosse uma crise pessoal sua. Ao escrever sobre isso no Discurso sobre o Método, seu questionamento dos valores surge como se se tratasse de uma crise psicológica ou intelectual, comum na transição dos adolescentes para a […]

#646

13 de novembro de 2018

Apesar do interesse gerado pelos grandes desbravadores da ciência do fim do século XVI e início do século XVII — Galileu, Bacon, Harvey, Kepler, Brahe e outros —, os trabalhos deles eram fragmentados, de forma que o efeito imediato das intermináveis experiências, dissecações, observações e análises geraram mais confusão do que clareza. Os resultados não […]

#643

8 de novembro de 2018

As guerras da Holanda contra a Inglaterra se deram no mar e nas colônias. Uma ameaça muito mais mortal para a Holanda viria pela terra. Para os homens reunidos em volta de Luís XIV em Versalhes, o sucesso da pequena república protestante era uma afronta à grandeza da França, um pecado contra sua religião e, […]

#642

6 de novembro de 2018

A Paz de Vestfália, de 1648, que, por convenção, marca surgimento do sistema estatal moderno, envolveu vários tratados que deram fim às guerras prolongadas entre os novos Estados poderosos que competiam pela cisão entre o catolicismo e o protestantismo, como a Guerra dos Oitenta Anos entre Espanha e os Países Baixos (uma das que proibiram […]

#633

21 de outubro de 2018

Apesar do estado precário das forças de defesa de sua nação, o vigoroso príncipe Guilherme de Orange, de 22 anos, recentemente designado capitão-general, tinha conseguido formar pela força de um exército holandês de 20 mil homens. Tendo cavado trincheiras e levantado muros de defesa, eles agora esperavam em Ijseel, na margem sul do Reno, em […]

#632

20 de outubro de 2018

“A antiga resistência parlamentar ficou fora de moda”, escreveu Colbert. “Já faz tanto tempo que as pessoas mal se lembram dela.” Quanto aos príncipes, estavam bastante ocupados, ao que parecia, fazendo dinheiro e politicagem social na corte novamente vibrante — “um antídoto às conspirações e Frondas”, como Luís XIV tinha observado. Portanto, não foi para […]

#623

4 de outubro de 2018

Uma ou duas visitas sérias chegaram para interromper a diversão e os jogos de Cristina em Antuérpia. Klaes Tott viera de Estocolmo, com um convite de Carlos Gustavo, para a rainha voltar para casa. O amor e a lealdade haviam motivado o convite do novo rei, pois nada tinha a ganhar com o retorno de […]

#592

11 de agosto de 2018

Em maio de 1667, o rei da França enviou uma carta amistosa à sua sogra, a recentemente viúva rainha da Espanha. Informou-lhe de que com a morte de seu marido, e estando o pagamento total do dote de sua filha ainda pendente, partes dos Países Baixos espanhóis tinham agora sido “devolvidas” a Maria Teresa [esposa […]

#559

14 de junho de 2018

Para o imperador Carlos V, as balas de canhão francesas em La Goletta foram um presságio perturbador dos eventos prestes a acontecer. Em 1536, ele embarcou em uma guerra exaustiva de dois anos contra Francisco I da França. Um verdade amarga de uma Europa fragmentada era a de que o rei católico gastaria mais tempo, […]

#547

19 de maio de 2018

A realeza não se faz com um mero título. Em primeiro lugar, o rei é rico em terras e em homens, e sabe-se as dificuldades que teve de enfrentar, perante as igrejas, para pagar essa riqueza em homens — fiéis. Um milhar de fiscos, isto é, de domínios que lhe pertencem por herança recebida dos […]

#540

2 de maio de 2018

Em meados do século VIII, desenvolve-se a ideia de uma adoção global nas igrejas francas. Em 754, a igreja de Metz, cujo papel na vida política e intelectual da Austrásia, da dinastia de Pepino é bem conhecido, adota integralmente o rito romano. Pepino se mostra receptivo a isso e recomenda às outras igrejas do reino […]

#534

18 de abril de 2018

Compreende-se também a fidelidade pessoal que ele impõe pelo juramento. A força do rei baseia-se tanto nos que aceitaram ser seus fiéis diretos como na eficiente rede de condes. É verdade que, a exemplo da Grécia de Alexandre, a Roma antiga já conhecia o juramento de fidelidade ao chefe. Pompeu e César valeram-se dele. Ele […]

#527

1 de abril de 2018

Teoricamente, teria sido possível deixar as questões como estavam e permitir que não juramentados e constitucionais frequentassem suas próprias igrejas. Mas na França de 1800, essa não era uma solução factível, Teria saído de sintonia com toda a noção revolucionária de uma República indivisível, fora de sintonia com a nota mais forte da história da […]

#526

31 de março de 2018

Napoleão reconheceu que a maioria dos franceses queria voltar a praticar a fé católica. Mas sob que forma? havia duas Igrejas na França, cada uma com seus bispos, padres e locais de culto — às vezes clandestinos — uma odiando a outra. Napoleão tivera experiências pessoais daquele ódio. Passando por Valença em sua volta do […]