#906

11 de fevereiro de 2020

Em geral, uma guerrilha vence se evita perder; um exército convencional perde se não tiver uma vitória decisiva. No entanto, não existe um fundamento segundo o qual o exército de guerrilha possa ser mobilizado ou exaurido. Os franceses não só tiveram dificuldades em razão desse obstáculo básico como também cometeram erros estratégicos fundamentais. Eles não […]

#875

19 de dezembro de 2019

O legado de Woodrow Wilson, o desejo nacional de autodeterminação e independência dos territórios colonial, também foi importante. A reivindicação era muito mais do que uma questão política. Foi um impulso moral e emocional de autoafirmação, fundamentado no sentimento impreciso porém vigoroso das identidades de raça, etnia e religião. Pouco se relacionava com as qualidades […]

#344

29 de janeiro de 2017

No final de um jantar formal, De Gaulle perguntou em particular a Henry: “Porque vocês não vão embora do Vietnã?” Kissinger respondeu: “Porque uma retirada repentina poderia nos causar um problema de credibilidade. ‘Onde?’, o general queria saber, Kissinger respondeu: no Oriente Médio. ‘Que estranho’, De Gaulle disse olhando para Kissinger do alto de seus […]

#343

28 de janeiro de 2017

Como as questões envolvidas na Guerra do Vietnã, nas relações soviético-americanas, nas relações com a China e nos conflitos no Oriente Médio não ofereciam perspectiva de progresso rápido, Nixon decidiu realizar uma viagem no final de fevereiro à Europa, onde poderia demonstrar seu interesse pelos problemas de política externa e seu relativo domínio dos temas […]

#334

7 de janeiro de 2017

No dia seguinte, a China foi o tema da conversa entre Nixon e De Gaulle, que insistiu em uma melhora das relações. Nixon descreveu a China como um problema de longo prazo que não poderia ser resolvido em pouco tempo. O Vietnã, em contraposição era um dilema urgente e imediato, que foi analisado somente no […]

#245

12 de junho de 2016

Os primeiros 15 meses do governo Nixon se concentraram em grande parte no Vietnã. Em como continuar na guerra, como manter a oposição enfraquecida; e como obrigar Hanói (Vietnã do Norte) a aceitar um acordo que não custasse a autonomia de Saigon (Vietnã do Sul) e não sobrecarregasse os Estados Unidos com o fardo de uma […]

#231

8 de maio de 2016

Kissinger chegou a Paris com a esperança de conseguir concessões de ambos os lados com o tratado. Ele pretendia dizer aos norte-vietnamitas que, se eles não fechassem o acordo, os Estados Unidos continuariam com o bombardeiro, e alertar aos sul-vietnamitas que se eles não concordasse com a paz, seriam abandonados. “É algo delicado jogar ambos […]

#203

5 de março de 2016

Apesar da vitória esmagadora de Lyndon Johnson sobre Goldwater em 1964 e seu extraordinário sucesso em 1965 e 1966, a popularidade de LBJ foi severamente reduzida ao longo dos dois anos seguintes. A culpa, como o próprio Johnson dizia, era “daquela porcaria de guerra no Vietnã”, uma luta aparentemente interminável que já tinha custado aos Estados […]