#746

23 de março de 2019

Quando o exército macedônio finalmente chegou ao vale de Cabul no início da primavera, Alexandre deu a seus homens um breve, mas muito necessário descanso. Entre eles e a Báctria ainda havia alguns dos picos mais altos do Hindu Kush. Teria sido prudente esperar em Cabul até o início do verão, quando a neve da […]

#714

14 de fevereiro de 2019

Durante todo aquele dia e toda a noite, os soldados correram selvagens pelas ruas de Persépolis em uma orgia de ganância feroz raramente igualada na história. Os macedônios invadiram cada casa particular e mataram os homens, então se revezaram violentando as mulheres e meninas. Quando se cansaram disso, amarraram seus cativos para vender como escravos. […]

#510

21 de fevereiro de 2018

Esse povo não existia até então. As linhas de divisão geográfica entre os continentes foram desenhadas primeiro pelos gregos, que para sua conveniência nomearam as terras a leste como Ásia, as regiões ao sul como África e todo o resto como Europa. À medida que exploraram mais adiante, tentaram resolver qual rio do norte marcava […]

#507

14 de fevereiro de 2018

O cabo de guerra entre o Islã e o cristianismo mudou de curso naquele dia de 732 d.C. Na estrada fora de Poitiers, os exércitos do islã bateram em um muro irremovível de francos desgrenhados, mas resolutos — os povos germânicos ocidentais que tinham se instalado muito tempo atrás no território romano —, liderados por […]

#467

12 de novembro de 2017

Em 53 a.C., o homem mais poderoso de Roma, Marco Licínio Crasso e suas legiões perseguiam os párticos (persas) no Eufrates — no atual Iraque — quando então os párticos subitamente deram meia-volta, pararam as legiões com uma saraivada de flechas e desfraldaram grandes bandeiras de seda. O brilho impressionante das bandeiras sob a luz […]

#356

26 de fevereiro de 2017

Nem mesmo as profundas divisões políticas no interior de sua comunidade de crentes — fosse a ascensão de al-Andalus no século VIII, a fragmentação posterior do Califado Abássida ou a eventual dissolução da Espanha muçulmana no século XI em pequenos estados inimigos — podiam romper laços fundamentais proporcionados por uma fé, uma língua e um […]

#355

25 de fevereiro de 2017

Ao longo de quatro séculos, inovações de todos os tipos vindas da Índia, da Pérsia e de Bagdá deslocaram-se constantemente para oeste, através do Egito, dos muçulmanos do Magreb — essencialmente, os modernos Marrocos, Tunísia e Argélia —, da África ocidental e de al-Andalus, que fazia fronteira com a Europa cristã. Árabes do Iêmen, por exemplo, que […]

#306

2 de novembro de 2016

Os ensinamentos de Avicena sobre a alma e sobre psicologia em geral também entraram na tradição ocidental por intermédio de seus volumosos estudos de medicina e biologia. Miguel Escoto, que traduziu sua obra Sobre os animais, absorveu as concepções do filósofo no contexto de sua obra de médico. Ele adotou livremente as ideias de Avicena […]

#302

23 de outubro de 2016

Os ensinamentos de Avicena tinham muito para recomendá-los aos pensadores cristãos. Diante da tarefa desalentadora de analisar a obra de Aristóteles sobre o tema, em particular a notoriamente opaca Metafísica, Avicena parecia oferecer uma maneira familiar de entrar em matéria tão complexa. O próprio Avicena mesmo diz que leu a Metafísica quarenta vezes — o […]

#301

22 de outubro de 2016

Entre as primeiras obras que sacudiram o autocontentamento da cristandade estavam os escritos do prolífico intelectual persa Avicena, que desfrutou enorme popularidade entre os filósofos e teólogos ocidentais durante o século XIII e depois. De particular interesse eram suas discussões sobre a metafísica e a noção da alma, extraída de seu abrangente Kitab al-Shifa, ou […]

#297

12 de outubro de 2016

Por volta do ano 610, durante o mês do Ramadã, um mercador árabe da cidade de Meca, no Hedjaz, teve uma experiência que, em última instância, transformaria a história do mundo. Todos os anos, Muhammad ibn Abdallah fazia um retiro espiritual com a mulher e a família numa caverna do monte Hira, no vale de […]

#286

17 de setembro de 2016

Muitos lugares na Arábia, tidos como sagrados, mantinham santuários, com seus próprios e antigos rituais dedicados a determinada divindade. O mais importante era a Caaba, situada junto à fonte sagrada de Zamzam, em Meca. De granito, em forma de cubo, parece ser extremamente antigo e semelhante a outros santuários que não sobreviveram. Incrustada na ala […]

#281

4 de setembro de 2016

Ao final do primeiro milênio após o nascimento de Cristo, a maior e mais culta cidade da Europa ocidental não era Roma, Constantinopla ou Londres. Era Córdoba, a capital da Andaluzia árabe, localizada no que atualmente corresponde ao sul da Espanha. Havia parques, palácios, estradas pavimentadas, lamparinas a óleo para iluminar as ruas, 700 mesquitas, […]

#280

3 de setembro de 2016

O conhecimento da destilação foi um dos muitos aspectos da sabedoria antiga preservado e aprimorado por acadêmicos árabes e, tendo sido traduzido do arábico para o latim, ajudou a reacender o espírito do conhecimento na Europa ocidental. A palavra alambique, que se refere a um tipo de destilaria, resume bem esta combinação de conhecimento antigo […]

#276

24 de agosto de 2016

Abu Jafar al-Mansur não queria correr risco algum na construção de sua nova capital imperial, pois ela seria uma cidade como nenhuma outra. O segundo califa abássida dos muçulmanos pediu orientação aos seus astrólogos reais de confiança, o ex-zoroastrista Nawbakht e Mashallah, um judeu de Basra convertido ao islamismo e agora “a principal pessoa para […]

#270

10 de agosto de 2016

O processo, que envolve vaporizar e depois condensar de novo um líquido a fim de separar e purificar suas partes constituintes, tem origens antigas. Um equipamento de destilação simples foi encontrado ao norte da Mesopotâmia por volta do quarto milênio a.C. A se julgar por inscrições posteriores em escrita cuneiforme, era usado para fazer perfumes. […]

#269

7 de agosto de 2016

Aquela pinha de entulho onde antes havia se erguido uma vila majestosa era um exemplo da quão dramaticamente a Itália decaíra de sua antiga grandeza para a impotência e a pobreza. Que os bandos de guerreiros sarracenos preferissem ocupar antigas ruínas em vez de monumentos erguidos em épocas mais recentes era uma prova sombria de […]

#263

24 de julho de 2016

A tendência dos babilônios seria evitar que um conflito se concretizasse, mesmo que para isso tivessem de se entregar a um soberano estrangeiro. Caos, na Mesopotâmia, sempre foi o pior dos pesadelos. Os homens sabiam que, no princípio do de tudo, o mundo esteve sob o poder dos demônios, incontroláveis e selvagens, até que os […]

#262

23 de julho de 2016

Os soldados de Dario o Grande, quando avistaram as muralhas da Babilônia assomando sobre eles em meio ao nevoeiro, devem ter sentido o coração acelerar: isso porque nada, nem mesmo os templos do Egito, os teria preparado para as proporções colossais do lugar. Mas é questionável se o general do exército não sentiu sequer uma […]

#258

13 de julho de 2016

Os nomes de al-Khwarizmi, Avicena, al-Idrisi e Averróis — gigantes da cultura árabe e figuras dominantes na Europa medieval durante séculos — provocam pouca ou nenhuma reação do leitor leigo instruído. A maioria está esquecida, não passa de lembrança distante de uma era passada. Contudo, eles foram apenas alguns dos protagonistas de uma extraordinária tradição […]

#252

29 de junho de 2016

Não sabemos até onde Maomé subscrevia o desejo de alguns árabes das aglomerações urbanas de retornar à religião de Abraão; não há nenhuma menção da pequena seita dos hanifiyyah em Meca no Corão e pouco interesse em Abraão antes das suras de Medina. Nesse período, contudo, parece que os muçulmanos chamavam sua fé hanifiyyah, a […]

#248

19 de junho de 2016

A chegada da ciência e da filosofia árabes, o legado pioneiro de Adelardo de Bath e daqueles que se apressaram em seguir seu exemplo transmutaram o atrasado Ocidente numa superpotência científica e tecnológica. Tal como o vago “elixir” — o al-iksir dos alquimistas — para transformar metal vil em ouro, a ciência árabe alterou radicalmente […]

#246

15 de junho de 2016

As conseqüências desse estranho evento foram imensas. Quando Maomé começou a pregar a Palavra em Meca, toda a Arábia encontrava-se num estado de desunião crônica. Cada uma das numerosas tribos beduínas da península era uma lei à parte, estando constantemente em guerra contra outros grupos. Para os árabes, a união parecia impossível, e isso significava […]

#148

1 de novembro de 2015

Embora a cultura do vinho tenha permanecido razoavelmente intacta na Europa cristã, os padrões de bebida transformaram-se dramaticamente em outras partes do antigo mundo romano, como conseqüência do crescimento do Islã. Seu fundador, o profeta Maomé, nasceu em torno de 570 d.C. Ao 40 anos, sentiu-se convocado para tornar-se profeta, tendo uma série de visões […]

#112

12 de agosto de 2015

Nem mesmo depois de sua primeira grande vitória, deixou de lado seu jeito ponderado, sua sutileza de agir. Os reis da Assíria, levando os tradicionais direitos de conquistas a extremos de selvageria, haviam praticado indescritíveis crueldades contra inimigos derrotados. Os medos aplicaram os mesmos métodos ao derrotarem os assírios. Mas Ciro o Grande, pensando em […]

#108

2 de agosto de 2015

Que um reinado tão poderoso quanto a Média, menos de um século depois de se erguer pela primeira vez para a independência e a grandeza derrotando os assírios, pudesse de novo ser subjugado e submetido a dominação estrangeira, é algo que, para muitos, deve parecer implausível. Mas isso, como os próprios medos sabiam muito, sempre […]

#97

4 de julho de 2015

Infinitamente mais que qualquer potência cristã, eram os reinos daqueles que mais desejavam conquistá-la, os seguidores de Maomé, que ofereciam à Nova Roma [Constantinopla] o melhor reflexo de seu próprio esplendor e sofisticação. — Cortes cobertas de joias e sedas, cidades imensas e pujantes, banhos e fontes borbulhantes, burocracias e exércitos regulares: os sarracenos tinham tudo. […]

#08

8 de janeiro de 2015

Entre aqueles que se submeteram a ele, Ciro — o grande —, o homem que convulsionou o mundo, seria recordado com uma admiração quase sem restrições por sua excepcional nobreza de caráter e como arquiteto da paz universal. Por séculos depois, mesmo entre seus mais terríveis inimigos, o brilho que envolvia a lembrança de seu […]