#767

15 de abril de 2019

Evidentemente, Luís XIV tinha aprendido pouco com os desastrosos e empobrecedores anos de guerra que ele próprio tinha provocado. A França não tinha ganhado quase nada “com todo esse desperdício de riqueza e perda de vidas”. Mas Luís agora tinha 75 anos de idade. O mundo deveria ser poupado de outras devastações inspiradas por sua […]

#766

14 de abril de 2019

A França foi salva da derrota na Guerra da Sucessão Espanhola. Mas não tanto pelo talento de seus generais, pela força de suas defesas ou pela determinação de seu povo, e sim pela morte inesperada, em 1711, do imperador José, que tinha sucedido a seu pai no trono do Sacro Império Romano em 1705. José, […]

#758

5 de abril de 2019

A desesperadora situação da França na Guerra da Sucessão Espanhola levou a representação de Luís XIV como pai do povo, amando-o como a seus próprios filhos. Foi um golpe de mestre em termos de relações públicas, assim como sua conclamação a seu emergente sentimento de nacionalidade comum enquanto franceses. Nessa conclamação churchiliana “avant la lettre”, […]

#756

2 de abril de 2019

Na Europa Ocidental, a maior parte das campanhas militares acontecia de forma calma. Os cercos eram populares e muito preferidos em comparação aos riscos maiores e surpresas desagradáveis da batalha em campo aberto. A guerra de cerco era conduzida com precisão impressionante, quase matemática; de cada lado, a qualquer momento, o comandante sabia com exatidão […]

#721

22 de fevereiro de 2019

“O que o resto da Europa dirá se aceitarmos este generosíssimo legado de sua majestade católica?”, ponderou Luís XIV. Se ele aceitasse o testamento, o trono espanhol passaria ao segundo filho do delfim, o duque de Anjou, com 17 anos, cujo irmão mais velho, o duque de Borgonha, era obrigado a permanecer na França como […]

#720

21 de fevereiro de 2019

No outono de 1697, com a assinatura de uma série de tratados na cidade holandesa de Rijswijk, a guerra do Rei Sol contra a Grande Aliança — nada menos que metade da Europa — tinha finalmente chegado ao fim. Após nove anos de lutas, ninguém tinha ganhado muito. Territórios conquistados com muita dificuldade foram devolvidos; […]

#715

16 de fevereiro de 2019

A Europa da segunda metade do século XVII era dominada pelo poder e pela glória de um único homem: Sua Mais Cristã Majestade, Luís XIV da França, também conhecido como o Rei Sol. Representado na arte como Apolo, a divindade que personifica o Sol na mitologia greco-romana, e seus raios realmente se estendiam de modo […]

#710

9 de fevereiro de 2019

“Uma filha deve obedecer a seu pai, mesmo que ele queira lhe dar um macaco como marido”, diz Dorine à sua desesperada e jovem patroa em Tartufo, de Molière. De fato, o próprio pai de Maria Luísa talvez tivesse condescendido, ou assim pensava madame de Sévigné: “As pessoas estão dizendo: Oh monsieur é muito bondoso; […]

#709

8 de fevereiro de 2019

“A rainha da Espanha está chorando e se lamentando”, escreveu madame de Sévigné, um ano e uma semana depois, em meados de setembro de 1679. Mas, embora a “casa pessoal” de Luís XIV não estivesse mais em ordem do que um ano antes, não era à negligenciada Maria Teresa (esposa espanhola de Luís) que madame […]

#659

6 de dezembro de 2018

Em 1685, Carlos II morreu sem deixar herdeiro legítimo e o trono passou para seu irmão mais novo, o melhor almirante inglês, Jaime, duque de York. Essa troca de monarcas alterou fortemente a posição inglesa. Jaime era sincero, direto, orgulhoso, objetivo e desprovido de sutilezas. Nascido protestante, converteu-se ao catolicismo aos 35 anos, demonstrando dali […]

#656

1 de dezembro de 2018

Mesmo à mesa de negociação, não se considerou seguro sentar católicos e protestantes. Em consequência, os tratados tiveram de ser discutidos e finalmente assinados em duas cidades separadas, 50km distantes uma da outra — Münster para o imperador e seus aliados católicos, Osnabrück para as potências protestantes. Fez-se uma exceção para os representantes da França […]

#654

27 de novembro de 2018

“Este não foi um ano inteiramente feliz”, admitiu Luís XIV, em particular, em seu diário, no último dia de 1673, na corte em Saint-Germain. “A guerra holandesa está se tornando uma guerra geral”. Algumas semanas depois, “nosso primo Carlos II, rei da Inglaterra”, assinou uma paz em separado com a Holanda, assim retirando da França […]

#653

25 de novembro de 2018

O Rei Sol dava pessoalmente créditos a seus servos: “Uma cidade defendida por Vauban é uma cidade impenetrável; uma cidade cercada por Vauban é uma cidade tomada”. Sob a direção de Vauban, os cercos se transformaram em verdadeiros espetáculos teatrais formais, encenados e cronometrados de forma imaculada. Uma vez que a fortaleza estivesse cercada, Vauban […]

#643

8 de novembro de 2018

As guerras da Holanda contra a Inglaterra se deram no mar e nas colônias. Uma ameaça muito mais mortal para a Holanda viria pela terra. Para os homens reunidos em volta de Luís XIV em Versalhes, o sucesso da pequena república protestante era uma afronta à grandeza da França, um pecado contra sua religião e, […]

#642

6 de novembro de 2018

A Paz de Vestfália, de 1648, que, por convenção, marca surgimento do sistema estatal moderno, envolveu vários tratados que deram fim às guerras prolongadas entre os novos Estados poderosos que competiam pela cisão entre o catolicismo e o protestantismo, como a Guerra dos Oitenta Anos entre Espanha e os Países Baixos (uma das que proibiram […]

#633

21 de outubro de 2018

Apesar do estado precário das forças de defesa de sua nação, o vigoroso príncipe Guilherme de Orange, de 22 anos, recentemente designado capitão-general, tinha conseguido formar pela força de um exército holandês de 20 mil homens. Tendo cavado trincheiras e levantado muros de defesa, eles agora esperavam em Ijseel, na margem sul do Reno, em […]

#632

20 de outubro de 2018

“A antiga resistência parlamentar ficou fora de moda”, escreveu Colbert. “Já faz tanto tempo que as pessoas mal se lembram dela.” Quanto aos príncipes, estavam bastante ocupados, ao que parecia, fazendo dinheiro e politicagem social na corte novamente vibrante — “um antídoto às conspirações e Frondas”, como Luís XIV tinha observado. Portanto, não foi para […]

#623

4 de outubro de 2018

Uma ou duas visitas sérias chegaram para interromper a diversão e os jogos de Cristina em Antuérpia. Klaes Tott viera de Estocolmo, com um convite de Carlos Gustavo, para a rainha voltar para casa. O amor e a lealdade haviam motivado o convite do novo rei, pois nada tinha a ganhar com o retorno de […]

#592

11 de agosto de 2018

Em maio de 1667, o rei da França enviou uma carta amistosa à sua sogra, a recentemente viúva rainha da Espanha. Informou-lhe de que com a morte de seu marido, e estando o pagamento total do dote de sua filha ainda pendente, partes dos Países Baixos espanhóis tinham agora sido “devolvidas” a Maria Teresa [esposa […]

#71

3 de maio de 2015

No dia 15 de novembro de 1644, enquanto o sol se erguia sobre o Vaticano, os cardeais entraram na Capela Sistina cambaleando de sono. Segundo o diário de um conclavista, Gianbattista não havia dormido nada, “em parte por felicidade, em parte por medo”. Ficou se agitando em sua cadeira. “Todos os seus cardeais estão presentes?” […]

#70

2 de maio de 2015

Como de hábito, espadas foram desembainhadas nas frentes francesas e espanholas, antes mesmo que o conclave começasse. Gregorio Leti não mediu palavras para descrever a politicagem que envolvia a escolha do Vigário de Cristo. “Os cardeais nem examinaram as virtudes e os vícios dos competidores”, irritou-se. “A Espanha promoveria qualquer um mesmo que fosse o […]

#62

12 de abril de 2015

Fabio Chigi se sentia desconfortável com o hábito reinante em Roma de oferecer presentes, que muitas vezes se confundia com suborno e tráfico de influência. “Ele não gostava de dar nem de receber presentes”, escreveu o cardeal Pallavicino. Poucos dias após sua chegada a Roma em novembro de 1651. Chigi soube que, por exigências da […]