#887

9 de janeiro de 2020

Os títulos de posse com as vitórias na Segunda Guerra Mundial, celebrados como “Fardo dos homens brancos”, falavam da superioridade de uma raça. “Somos superiores”, acreditava Churchill, porém ninguém mais lhe dava crédito. Os partidos em presença na guerra asiática o levavam a crer em características raciais explicitadas, sobretudo, na cor da pele. Dentre os […]

#866

8 de agosto de 2019

Para sua posição cada vez mais inflexível com os soviéticos, Harriman foi bastante influenciado por Kennan que, na opinião de Harrison Salisbury, “conhecia melhor os russos do que qualquer pessoa de minha geração.” Depois de chegar a Moscou em junho de 1944, Kennan, que já havia servido lá no início dos anos 1930, sublinhou para […]

#865

7 de agosto de 2019

Enquanto Paris fervia de felicidade com sua libertação, os residentes de outra capital europeia ocupada estavam em plena luta pela sua. Três semanas antes de os aliados entrarem em Paris, cerca de 25 mil membros do movimento clandestino polonês desencadearam um levante em Varsóvia contra seus ocupantes názis. A rebelião coincidiu com uma ofensiva em […]

#861

2 de agosto de 2019

Stalin havia exposto claramente a John Deane, renomado instrutor de Estratégia em Fort Leavenworth, todas suas intenções e não intenções na Manchúria para atacar o Japão. Contudo, protelava a decisão sobre os insistentes pedidos para a instalação de bases aéreas americanas na Sibéria, de onde os B-29 poderiam, sem maiores problemas, lançar seus tapetes de […]

#859

31 de julho de 2019

Ofuscada pela Sturm und Drang [ação e emoção] da controvérsia sobre a França, outra nação europeia cativa — a Polônia — também se viu em dificuldades com seus maiores e mais poderosos aliados. Até que a União Soviética fosse catapultada para a guerra em junho de 1941, a Polônia havia contribuído mais para a sobrevivência […]

#843

12 de julho de 2019

“A influência soviética na Manchúria crescerá em termos consideráveis”, ponderou Harriman, “caso os russos venham a controlar as ferrovias e protegê-las com suas tropas.” Exatamente o mesmo que os japoneses haviam feito antes de incorporar a região: permissão de uso, policiamento dos trechos e ocupação armada. Em Moscou, ao discutir os pormenores com o general […]

#842

11 de julho de 2019

Desde o começo da Segunda Guerra Mundial a Rússia não se envolvera na guerra no Pacífico, pois dela tirava proveito. O Japão engajado na China, no Sudeste Asiático e no mar, não tinha como se preocupar com a Sibéria, contrariando os mais íntimos desejos de sua aliada, a Alemanha. Rússia e Japão não queriam inimigos […]

#839

8 de julho de 2019

Em Teerã, na oportunidade em que Churchill convidou Roosevelt para almoçar, o presidente americano declinou. Hopkins explicou que o presidente não queria “dar a impressão de que ele e Winston arquitetavam maneiras de deixar Stalin em posição desconfortável.” Em vez disso, Roosevelt uniu forças com Stalin para constranger Churchill. Num jantar logo depois do início […]

#838

7 de julho de 2019

No Cairo, em novembro de 1943, Roosevelt ofereceu um festivo jantar de Ação de Graças a Churchill e outras autoridades dos governos americano e britânico que compareciam à conferência, entre eles Winant e Harriman. Naquela noite, a antiga camaradagem Churchill-Roosevelt foi de novo ostentada. O Presidente trinchou dois enormes perus para os que o cercavam […]

#831

29 de junho de 2019

Apesar de sua retórica idealista quanto a se criar um mundo justo e livre de conflitos após a guerra, Roosevelt, como Churchill, tinha pouco interesse num planejamento sério e de longo prazo para traduzir tal mundo em realidade. De fato, durante grande parte da guerra, o presidente se recusou firmemente a qualquer discussão detalhada sobre […]

#824

21 de junho de 2019

Do ponto de vista da maioria dos presentes, Stalin foi, de longe, o melhor negociador dos três líderes em Teerã; lá, e mais tarde em Yalta, os diplomatas e as autoridades militares americanas e inglesas partilharam a inquietante sensação, como observou um funcionário britânico, de que “os ganhos foram sempre para a Rússia, e as […]

#821

18 de junho de 2019

Menos de duas semanas após a assinatura dos acordos de Yalta, Stalin deu indicações de que não tinha a intenção de honrá-los, ao menos no que se referia à Polônia. O governo soviético rejeitou virtualmente todos os líderes poloneses não comunistas indicados embaixadores dos Estados Unidos e Grã-Bretanha, Averell Harriman e Archibald Clark Kerr, para […]

#817

13 de junho de 2019

Os ingleses lavaram e passaram a ferro a imagem de Drake para fazer dele um herói nacional aceitável, mas no resto do mundo ele continuou a ser um aventureiro criminoso que em San Julian abolia toda a autoridade legítima e fez-se déspota de “uma sociedade sem classe e sem lei”, como escreveu um de seus […]

#813

9 de junho de 2019

Por volta do fim de março de 1940, as filmagens principais de O grande ditador tinham terminado, os trabalhadores já começavam a limpar o estúdio e, no início de abril, Chaplin tinha editado grosseiramente o filme para mostrar a alguns amigos, como Constance Collier. A cena do clímax — o discurso final feito pelo barbeiro […]

#812

8 de junho de 2019

Pouco antes do Natal, Chaplin filmou a cena que hoje ainda continua assombrosa e a mais inspirada do filme: o balé de Hynkel com o globo terrestre. A primeira pista sobre uma cena simbólica desse tipo está em uma anotação aleatória, datada de 15 de fevereiro de 1939: “Cena com mapa: cortar para servir para […]

#805

31 de maio de 2019

Muito tempo depois, Chaplin admitiu: “Se eu soubesse dos horrores dos campos de concentração alemães, eu não teria feito O grande ditador, nem teria feito piada da insanidade homicida dos nazistas”. É verdade que depois se revelou que Hitler não era motivo de piada; mas não havia nada de frívolo nas mais profundas intenções de […]

#804

30 de maio de 2019

O rompimento de qualquer aspecto do governo coletivo ao longo dos seis anos anteriores deixou Hitler numa posição em que tomava decisões sozinho. Ninguém duvidava que ele tinha o direito de decidir — o efeito sufocante dos anos de expansão do culto ao Führer levou a isso — e que suas decisões deveriam ser executadas. […]

#803

28 de maio de 2019

Hitler tendia a pensar na economia em termos de quanto carvão, ferro, aço, gorduras comestíveis e grãos podiam ser extraídos de um determinado território. Via as economias internacionais como um jogo de soma zero, não como um processo em que o destino de todos estava vinculado em mútua interdependêpencia. Era assim, certamente, que ele via […]

#796

19 de maio de 2019

Em dezembro de 1922, Hitler explicou para Eduard Scharrer, coproprietário do Münchner Neueste Nachrichten e favorável ao Partido Nazista, o delineamento da aliança estrangeira que detalharia em Mein Kampf. Ele descartava a rivalidade colonial com a Grã-Bretanha, que havia causado conflito antes da Primeira Guerra Mundial. Em suas palavras: “A Alemanha teria de se adaptar […]

#795

18 de maio de 2019

A ditadura de Hitler tem a característica de um paradigma para o século XX. De forma intensa e extrema, ela significou, entre outras coisas, a reivindicação total do Estado moderno, graus imprevistos de repressão e violência estatal, manipulação sem paralelo anterior dos meios de comunicação para controlar e mobilizar as massas, cinismo sem precedentes nas […]

#794

17 de maio de 2019

Mesmo na Alemanha, a primavera de 1942 levou à percepção de que as rações de alimentos dentro do Reich teriam de ser reduzidas. Em vista da convicção de Hitler de que a própria segurança do regimeestava ligada à manutenção dos padrões de vida alemães, foi com certeza uma das crises políticas mais graves por que […]

#793

16 de maio de 2019

Ainda que o bolo continental estivesse encolhendo, o Reich conseguiu consumir fatias cada vez maiores dele. Embora não fosse mais que uma potência mundial de médio tamanho, a força bruta permitiu que a Alemanha reorientasse uma proporção muito significativa do comércio e da produção europeus para si mesma. Entre 1940 e 1944, a contribuição dos […]

#792

14 de maio de 2019

Em 1940, Hitler estava na zênite de seu poder. Contudo, não tinha poder suficiente para conduzir a guerra nos termos que queria. E, na Alemanha, era impotente para evitar que o governo do Reich saísse cada vez mais do controle. As tendências já evidentes antes da guerra — dualismo não resolvido entre partido e Estado, […]

#791

13 de maio de 2019

“Todos os que têm oportunidade para observar sabem que o Führer só pode, com grande dificuldade, ordenar de cima tudo o que pretende realizar mais cedo ou mais tarde. Ao contrário, até agora cada um trabalhou melhor na nova Alemanha se, por assim dizer, trabalhou para o Führer.” Essa era a ideia central de um […]

#788

10 de maio de 2019

Hoje, com mais de meio século de existência, o paradigma totalitário ainda nos cativa. Ele explica corretamente algumas coisas. Hitler de fato teve papel fundamental no funcionamento do Reich e — talvez ainda mais — na forma alemã de governar a Europa: durante a guerra não houve governo verdadeiramente coletivo em nenhum sentido, e a […]

#787

9 de maio de 2019

A tentativa de criar um império baseado no nacionalismo não era nova. Os franceses tinham tido sua missão civilizadora, assim como os americanos, de maneira distinta. Numa comparação mais pertinente, os russos e os húngaros de antes de 1914 tentaram unir seus territórios por meio da difusão da sua língua e cultura. O que tornava […]

#786

7 de maio de 2019

Mussolini levou a Itália a entrar na guerra uma semana antes do armistício, na esperança de lucrar com a ação antes que tudo terminasse, a tempo de colher ricas sobras e deleitar-se com a glória de uma vitória barata. Hitler não ficou feliz ao saudar seu novo camarada de armas quando foi, em 18 de […]

#785

6 de maio de 2019

A ofensiva alemã contra as potências ocidentais avançou num ritmo tão impressionante que assombrou o mundo. Até mesmo Hitler e seus comandantes militares não esperavam por esse nível de sucessos iniciais. No flanco setentrional, os holandeses renderam-se em cinco dias, e a rainha e o governo exilaram-se na Inglaterra. Antes disso, o bombardeio aterrorizante da […]

#784

5 de maio de 2019

Dominar a Europa era o que realmente importava para os nazistas, pois eles acreditavam que o continente era o centro do sistema geopolítico mundial. Em 1904, o geógrafo britânico Halford Mackinder argumentara que “aquele que governa o Leste Europeu controla o Centro; quem controla o Centro controla a Ilha do Mundo; e quem controla a […]

#783

4 de maio de 2019

Hitler como construtor de impérios: talvez não seja assim que pensamos no Führer, mas certamente é uma das imagens que ele fazia de si mesmo. Os nazistas acreditavam que lhes coubera a tarefa de construir um império que os elevaria à condição de potência mundial. Com quase nenhuma experiência em colonialismo ultramarino a guiá-los e […]

#782

3 de maio de 2019

Os anos de sucessos espetaculares — todos atribuídos por ele ao “triunfo da vontade” — e a adulação pura que o cercava a cada momento, o culto ao Führer sobre o qual o “sistema” estava construído, haviam apagado completamente nele o pouco senso que tinha de suas limitações. Isso o levou a uma calamitosa superestimação […]

#781

2 de maio de 2019

O Super-homem tem antecedentes na Antiguidade, mas no século XIX ele renasceu da cabeça de Friedrich Nietzsche. Filho brilhante de um pastor luterano, Nietzsche foi eleito para um posto docente de enorme prestígio com apenas 24 anos de idade e foi vencido pela loucura vinte anos depois, tendo produzido uma sequência de textos visionários que […]

Mao

#457

21 de outubro de 2017

Em 23 de agosto de 1939, a União Soviética assinou um pacto de não agressão com a Alemanha nazista e, no mês seguinte, os dois países invadiram a Polônia e a dividiram entre eles. Muitos chineses ficaram escandalizados com o acordo de Stálin com Hitler. Esse sentimento talvez tenha sido mais bem articulado pelo fundador […]

#353

19 de fevereiro de 2017

Era o emprego que Harriman queria — na verdade, cobiçava. No entanto, embora vibrando com a nomeação, ficou um pouco frustrado ao perceber a atitude indiferente do Presidente em relação ao Lend-Lease. Apesar de gostar de estar no centro dos acontecimentos, ele ansiara pela posição porque acreditava piamente que os Estados Unidos tinham a obrigação […]

#352

18 de fevereiro de 2017

Embora Harriman já tivesse feito inúmeros negócios ao tempo do encontro na Casa Branca e então fosse o chairman da Union Pacific, Roosevelt o via praticamente só como esportista e playboy. Ele se tornara campeão de polo no fim dos anos 1920, devotando mais de um ano ao jogo; e na década de 1930, criara […]

#336

11 de janeiro de 2017

Seis semanas após a desafiadora transmissão de Murrow na Véspera do Ano Novo, Franklin Roosevelt convidou W. Averell Harriman para um encontro no Escritório Oval. No meio de uma conversa sem pé nem cabeça entre os dois, o Presidente mencionou en passant que pretendia despachar Harriman para Londres a fim de supervisionar o fluxo da […]

#277

27 de agosto de 2016

“Está prevista uma colaboração entre nossos países. Eu aceitei esse princípio.” Com estas palavras, o marechal Philippe Pétain, 84 anos, herói da batalha de Verdun, saiu de seu encontro com Hitler em Montoire em outubro de 1940 e anunciou a disposição de seu governo de trabalhar com Berlim. Alguns franceses ficaram consternados. “O único direito […]

#267

3 de agosto de 2016

Poderíamos ter vencido a guerra, ainda que nenhum erro militar fosse cometido? Minha opinião: é não. De 1941 em diante, e até o fim, ela já estava tão perdida quanto a Primeira Guerra, pois os objetivos políticos não guardavam absolutamente nenhuma relação com as possibilidades militares e econômicas da Alemanha. A única coisa que o […]

#195

14 de fevereiro de 2016

O Führer descartou categoricamente, como sempre fizera, qualquer possibilidade de capitulação. Declarou que um colapso do Reich alemão estava fora de questão. Mas as observações que fez depois traíam o fato de que estava contemplando precisamente essa ideia. Tal colapso representaria “o fim de sua vida”, declarou. Estava claro que, nessa eventualidade, o bode expiatório […]

#194

13 de fevereiro de 2016

Junto com a sede por vingança brutal, o atentado fracassado do Exército (Operação Valquíria) deu mais um poderoso alento ao seu sentimento de caminhar com o destino. Com a “Providência” ao seu lado, como ele imaginava, sua sobrevivência era para ele a garantia de que cumpriria sua missão histórica. O atentado intensificou a queda no […]

#184

20 de janeiro de 2016

Indivíduos muito mais bem-dotados do que Hitler teriam se sentido sobrecarregados e incapazes de dar conta da escala e da natureza dos problemas administrativos envolvidos na condução de uma guerra mundial. Os triunfos de Hitler na política externa, nos anos 1930, depois como líder da guerra, até 1941, não se deviam ao seu “gênio artístico” […]

#152

8 de novembro de 2015

Por meses, após o acordo dos americanos com Darlan, os exilados europeus se encontraram no White Tower, no YorkMinster e em outros restaurantes e pubs preferidos de Londres para fumar cigarros sem fim e discutir as implicações do acordo. Os Franceses Livres, claro, eram os mais diretamente afetados. Mas os outros emigrés — noruegueses, poloneses, […]

#147

31 de outubro de 2015

No fim do século XIX, Lord Salisbury, então primeiro-ministro da Inglaterra, dissera com um torcer de nariz: “A Inglaterra não solicita alianças. Ela as concede.” Winston Churchill nunca teve tal luxo. Como a Inglaterra enfrentou uma possível invasão germânica em 1940 e 1941, o primeiro-ministro necessitou de todos os aliados que pudesse conseguir, não importava […]

#141

18 de outubro de 2015

A mensagem central da fala de Goebbels de 18 de fevereiro de 1943 era: só a Wehrmacht e o povo alemão têm condições de deter a arremetida bolchevista, mas para isso é preciso agir com rapidez e radicalismo. Como não podia deixar de ser, o discurso continha uma passagem antisemita bastante violenta repisando contra quem […]

#140

17 de outubro de 2015

Em meados de fevereiro, tendo percebido que a “dita comissão tríplice” adotava resoluções sem sua participação, Goebbels protestou junto a Bormann, assim como na Chancelaria. Mas, ao que parece, o expediente não teve sucesso: afinal, o decreto do Führer não previa sua participação nas decisões da comissão, e ele acabou achando melhor não insistir nisso […]

#34

12 de fevereiro de 2015

Para de Gaulle, a assustadora tarefa de inspirar e unificar sua pátria-mãe rachada em facções, era dificultada pelo fato de, ao contrário dos governos europeus no exílio, seu movimento não ser reconhecido por Inglaterra e Estados Unidos como órgão oficial de governo da França. Para desconforto do general, ele e seus colegas líderes no exílio […]

#27

3 de fevereiro de 2015

Mesmo derrotado, o imperador do Japão guardava um fiapo de trunfo na manga: os EUA temiam que, consolidada a paz, o Japão pudesse pender para o lado dos comunistas. O principal obstáculo às ambições do marechal Joseph Stalin, lider supremo da URSS, os americanos sabiam, era a manutenção, ainda que simbólica, de Hiroíto no trono […]

#10

11 de janeiro de 2015

Na preparação para a batalha seguinte, Eisenhower estava bem consciente de que Brooke e outros generais ingleses tentavam sabotá-lo. Suas relações com aqueles generais — em particular com Montgomery, o egocêntrico e convencido herói de El Alamein — passariam a ter mais arestas à medida que o combate se encaminhasse para a Europa. Eisenhower tenderia […]